Venezuela

Auditoria eleitoral na Venezuela "não colocará em causa" vitória de Maduro

Auditoria eleitoral na Venezuela "não colocará em causa" vitória de Maduro

O reexame das eleições na Venezuela "não colocará em causa e em qualquer circunstância" os resultados que dão a vitória nas presidenciais a Nicolás Maduro, garantiu a vice-presidente do conselho nacional eleitoral, Sandra Oblitas.

Em conferência de imprensa, Sandra Oblitas apelou para que "não sejam criadas falsas esperanças sobre um reexame [da votação] e que de qualquer forma nunca colocarão em causa o resultado eleitoral".

"A auditoria que foi aceite não é uma recontagem dos votos nem tem por objetivo qualquer revisão dos resultados", precisou a vice-presidente do Conselho nacional eleitoral (CNE), que também se denunciou "uma falsa expectativa sobre uma suposta recontagem".

Na quinta-feira, após quatro dias de grande tensão na Venezuela, e enquanto em Lima se reuniam os chefes de Estado das Nações Sul-Americanas (Unasur) para discutir a situação política venezuelana, o CNE anunciou a extensão da auditoria eleitoral a 100% dos votos das eleições.

Nicolás Maduro, delfim do falecido presidente Hugo Chávez, foi proclamado vencedor das eleições de 14 de abril com uma vantagem de 1,8%, sob o conservador Henrique Capriles, com a oposição a exigir uma recontagem dos votos e a organizar protestos que segundo o Governo provocaram oito mortos na noite de segunda-feira.