O Jogo ao Vivo

Austrália

Austrália adverte mulheres que Estado Islâmico não é uma "aventura romântica"

Austrália adverte mulheres que Estado Islâmico não é uma "aventura romântica"

A ministra dos Negócios Estrangeiros australiana, Julie Bishop, revela que há um número crescente de mulheres que partem para o Iraque e Síria para casar com jiadistas do Estado Islâmico, advertindo que o que as espera não é uma "aventura romântica".

Pelo menos 110 australianos partiram para combater ao lado dos jiadistas no Médio Oriente e 30 a 40 mulheres estão com eles ou apoiam-nos ativamente na Austrália, segundo dados dos serviços de segurança citados pela AFP.

"Infelizmente vemos cada vez mais jovens a quererem ir para a Síria e Iraque, e há um número crescente de jovens mulheres", afirmou a ministra Julie Bishop, quando questionada sobre o recente caso de três adolescentes que partiram de Londres para alegadamente se juntarem ao Estado Islâmico (EI).

Segundo a chefe da diplomacia australiana, estas mulheres partem atraídas por combatentes terroristas estrangeiros, para acompanhar os maridos ou para casar nesses territórios. A propaganda na Internet faz com que acreditem que encontram um marido no Iraque ou na Síria, acrescentou.

"Esta organização terrorista tem um comportamento terrível para as mulheres. (...) A sua atitude em relação a elas é desprezível e as mulheres jovens não devem deixar-se enganar e acreditar que vão viver uma aventura romântica", afirmou.

Na Europa, cerca de 550 mulheres já fizeram esta viagem, escreve a agência AFP.

Outras Notícias