Fronteiras

Austrália reabre a turistas dois anos depois

Austrália reabre a turistas dois anos depois

Quase dois anos depois do encerramento das fronteiras australianas, o país voltou, esta segunda-feira, a receber turistas vacinados contra a covid-19.

Nos dois principais aeroportos internacionais do país, em Sydney e Melbourne, alguns familiares e amigos cansados, mas eufóricos, saíram a correr dos portões de desembarque para abraçar entes queridos após um longo período separados. Bernie Edmonds ficou emocionado quando abraçou a sua neta de oito anos, Charlotte, que tinha acabado de aterrar em Sydney. "É ótimo tê-la de volta", disse. "Ela tem de ir outra vez, mas vamos tê-la de volta outra vez".

O país fechou as suas fronteiras a quase todos, exceto cidadãos e residentes permanentes, em março de 2020, numa tentativa de abrandar o aumento do número de casos de covid-19.

A proibição em viajar - que impediu também os cidadãos de se deslocarem ao estrangeiro sem isenção e impôs um limite restrito às chegadas internacionais - valeu ao país o apelido de "Fortaleza Austrália".

Jody Tuchin estava entusiasmada por ir buscar a sua melhor amiga, que não via desde 2018. "Chegou mesmo a tempo do meu casamento daqui a quatro dias", disse à AFP.

Um voo Qantas de Los Angeles foi o primeiro a aterrar em Sydney esta madrugada, seguido de chegadas de Tóquio, Vancouver e Singapura."É justo dizer que todos esperamos há muito tempo voltar a receber visitantes na Austrália", disse o chefe executivo da Qantas, Alan Joyce.

A companhia aérea nacional espera transportar mais de 14 mil passageiros para a Austrália esta semana - o início do que muitos acreditam ser uma longa e lenta recuperação para um setor turístico devastado pela pandemia.

PUB

"Penso que vamos assistir a uma recuperação muito, muito forte", disse o ministro do Turismo Dan Tehan no aeroporto de Sydney, que vestia uma t-shirt com as palavras: "Bem-vindos de volta".

O governo australiano lançou uma campanha publicitária de 25 milhões de euros para atrair de novo os turistas, mas apenas 56 voos internacionais estão programados para aterrar no país nas 24 horas seguintes à reabertura das fronteiras - muito abaixo dos níveis pré-pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG