Brasil

Autoridades investigam possível massacre em tribo isolada na Amazónia

Autoridades investigam possível massacre em tribo isolada na Amazónia

O Ministério Público Federal, da Amazónia, no Brasil, em parceria com a Polícia Federal, vai investigar a suposta morte de vários membros de uma tribo indígena isolada em Vale do Javari, no Amazonas.

As suspeitas recaem sobre um grupo de mineiros ilegais que, de acordo com diferentes organizações não-governamentais (ONG), terão assassinado pelo menos dez pessoas, para lhes roubar ouro e outros pertences.

A área investigada fica nas proximidades dos rios Jandiatuba e Jutaí, junto da fronteira com o Peru, a cerca de mil quilómetros de Manaus, capital daquele estado. O procurador responsável pelo caso, Pablo Luz de Beltrand, confirmou que as investigações já começaram, mas que ainda é cedo para tirar qualquer conclusão.

De acordo com o jornal "Folha", dois mineiros foram presos em flagrante, por porte ilegal de armas, durante a investigação. A ONG Survival International denunciou os mineiros depois destes terem sido vistos a exibir troféus das mortes - flechas e um remo -, no centro da cidade de São Paulo Olivença.

"Eles gabaram-se de os terem cortado aos bocados e de atirarem os corpos ao rio", explicou Leila Sílvia Burger Sotto-Maior, da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), à imprensa local.

"Caso se confirme, significa que uma quinta parte da tribo pode ter sido exterminada", denunciou a organização não-governamental Survival, em comunicado.

"Estas tribos são praticamente incontactáveis. Mesmo para a FUNAI, que apenas tem informação esporádica sobre eles. É difícil trabalhar com estas pessoas e há a necessidade do governo se empenhar neste campo", refere.

A área é conhecida como a Fronteira Isolada Amazónica, já que tem mais tribos isoladas do que qualquer outra parte do mundo. De acordo com o "The New York Times", trata-se do segundo ataque a índios investigado este ano. O primeiro aconteceu em fevereiro, mas o caso ainda está a ser analisado.