Mundo

Autoridades russas mantêm silêncio quanto a paradeiro de Snowden

Autoridades russas mantêm silêncio quanto a paradeiro de Snowden

As autoridades russas mantêm um rigoroso silêncio sobre a possibilidade de que o ex-colaborador da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos Edward Snowden possa ter abandonado a zona de trânsito do aeroporto de Sheremetievo.

O presidente da Bolívia, Evo Morales, que abandonou Moscovo na terça-feira à noite com destino ao seu país depois de uma visita de dois dias à Rússia, negou transportar Snowden no seu avião, suspeita na origem de um incidente com vários países europeus que negaram autorização para o aparelho atravessar o seu espaço aéreo.

Normalmente, o Ministério dos Negócios Estrangeiros e outros organismos oficiais russos reagem rapidamente a incidentes como a atribulada viagem de regresso do Presidente boliviano através dos céus da Europa. Porém, desta vez, o silêncio é total.

O Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, que também esteve em Moscovo para participar no Fórum dos Países Exportadores de Gás, anunciou aos jornalistas que não tencionava levar Snowden no seu avião.

Morales e Maduro foram os dois únicos líderes mundiais que se mostraram disponíveis a conceder, sem condições, asilo político a Snowden, cuja extradição é pedida pelos Estados Unidos.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, confirmou há 24 horas que Snowden se encontrava em Sheremetievo, ao anunciar que ele tinha renunciado ao pedido de asilo político à Rússia.

Ao mesmo tempo, frisou que, independentemente dessa circunstância, a Rússia não entregará Snowden à justiça norte-americana.

Snowden renunciou à possibilidade de ficar na Rússia depois do Presidente russo, Vladimir Putin, ter posto como condição que ele cessasse todas as atividades contra o seu "aliado", os Estados Unidos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG