Mundo

Avião com seis portugueses caiu na Namíbia e não há sobreviventes

Avião com seis portugueses caiu na Namíbia e não há sobreviventes

A polícia da Namíbia encontrou este sábado o "avião sinistrado" das Linhas Aéreas Moçambicanas, que estava desaparecido desde sexta-feira. Não há sobreviventes entre os 33 ocupantes da aeronave, sendo que seis dos passageiros eram portugueses. A informação sobre a nacionalidade dos passageiros foi também confirmada pelo Governo português.

Willy Brampton, da Polícia da Namíbia, disse à Reuters que os destroços do avião foram encontrados no Parque Nacional de Bwabwata, perto da fronteira com Angola e o Botsuana.

"Foi encontrado o avião sinistrado no Parque Nacional de Bwabwata no norte na Namíbia", disse também José Cesário, secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, que confirma a existência de seis portugueses a bordo.

Segundo os primeiros dados fornecidos pela transportadora Linhas Aéreas Moçambicanas (LAM), entre os 27 passageiros constavam cinco portugueses, mas o número foi atualizado para seis pelo Governo português, já que existe um caso de dupla nacionalidade. Um cidadão brasileiro tem também nacionalidade portuguesa.

Fonte aeronáutica moçambicana disse à Lusa que o avião foi avistado cerca das 11.30 horas da Namíbia (9.30 horas em Portugal continental) pelo ar e que as equipas iriam iniciar as buscas por terra.

O trabalho está a ser dificultado no terreno pela inexistência de estradas de acesso ao local assinalado e pelas fortes chuvas que têm fustigado a região.

Seis membros da tripulação do aparelho, um Embraer 190 de fabrico brasileiro, seguiam viagem a bordo do aparelho, segundo informações divulgadas pela LAM na sexta-feira.

Segundo a LAM, ainda não há explicação para o acidente, mas a empresa acionou já uma equipa para prestar assistência às autoridades que estão a investigar o acidente.

A LAM está proibida de de voar em espaço europeu, devido a problemas de segurança.

Empresário português a bordo

Um empresário português está entre os 28 passageiros do avião das Linhas Aéreas de Moçambique que se despenhou na Namíbia.

Segundo um amigo do passageiro português, o empresário, que é residente na região centro de Portugal e tem negócios na área da construção civil em Angola e Moçambique, apanhou o voo para Luanda no aeroporto de Maputo na manhã de sexta-feira.

Várias horas desaparecido

Em conferência de imprensa na madrugada deste sábado, o ministro dos Transportes e Comunicações de Moçambique, Gabriel Muthisse, afirmava que o avião teria feito uma aterragem de emergência ou se teria despenhado numa área florestal na região fronteiriça entre a Namíbia e o Botsuana.

A agência France Presse citava este sábado o coordenador da polícia criminal da região de Kavango, Willie Bampton, segundo o qual terá sido visto fumo num zona da Namíbia, já próxima da fronteira com o Botsuana e que habitantes de aldeias próximas terão ouvido explosões.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG