Egito

Avião egípcio enviou mensagens sobre fumo na cabine

Avião egípcio enviou mensagens sobre fumo na cabine

O Airbus A320 da EgyptAir que se despenhou quinta-feira no Mediterrâneo transmitiu mensagens automáticas que indicavam a existência de fumo na cabine.

O envio de mensagens automáticas dando conta de fumo na cabine do Airbus A320 da EgyptAir que se despenhou quinta-feira no Mediterrâneo poderá ser um elemento de base para as investigações às causas do misterioso acidente que fez 66 vítimas, entre elas um cidadão português.

A notícia foi avançada de madrugada pelo site "Aviation Herald", que falava de mensagens "Acars" - "Aircraft Communications Addressing and Reporting System", dados gerados automaticamente pelo avião destinados à manutenção. "00:26Z 2600 SMOKE LAVATORY SMOKE" e "00:27Z 2600 AVIONICS SMOKE" referem especificamente fumo. Outras apontam sensores variados e os últimos "falhas" ("fault") nos controladores de voo.

A informação foi depois confirmada pela Agência de Investigações e Análises da aviação civil francesa, que insistiu, contudo, ser cedo interpretar os elementos sem se encontrarem primeiro as gravações do voo que ligava Paris ao Cairo. Uma hipótese que chegou, de resto, a ser este sábado aventada pelo canal britânico CBS, que noticiou a localização de uma das caixas negras, informação não confirmada nem negada ao longo do dia.

Falando à rádio BBC4, David Learmount, consultor do site "Flight Global" explica que a informação relativa ao fumo no centro de comando (avionics system), dois minutos antes de os computadores de controlo de voo falharem, um depois do outro, é "muito preocupante". Os dados poderão explicar o que aconteceu, mas não confirmam a origem do problema: se elétrica se provocada. "Pode ser terrorismo, mas parece que o avião perdeu o controlo porque os controlos estavam literalmente a arder".

Do seu lado, o ex-responsável de investigações da aviação civil egípcio, Shaker Kelada, citado pelo "The Guardian", insistia que, isolados, estes dados não têm significado. "Se é a indicação para alguma coisa, pode ser a sequência de uma explosão, como pode também acontecer se alguém fumar no cockpit ou no lavatório. Mas não houve qualquer aviso no cockpit".

As investigações à queda do voo MS804 prosseguem no terreno, numa zona onde o mar tem 7500 a dez mil pés (2286 metros e 3048 metros de profundidade).