Mundo

Avião malaio desaparecido tinha tido problema na asa mas era seguro para voar

Avião malaio desaparecido tinha tido problema na asa mas era seguro para voar

A Malásia Airlines afirmou, este domingo, que o Boeing 777-200, que desapareceu com 239 pessoas a bordo, teve um problema numa asa em 2012, mas foi completamente reparado e teve luz "verde" para voar.

O incidente ocorreu numa colisão menor com outro avião que estava na pista do Aeroporto Internacional de Shanghai Pudong, segundo relatos anteriores.

"O avião tinha uma parte da asa cortada. Uma porção, possivelmente um metro, foi arrancada", disse aos jornalistas o presidente da companhia aérea, Ahmad Jauhari, acrescentando que o problema "foi reparado pela Boeing, [que] foi a Boeing que deu o aval, aprovado por várias autoridades" e que o avião "estava seguro para voar".

Há alguma especulação sobre o que aconteceu ao voo 370, que desapareceu no sábado de manhã quando fazia a ligação de Kuala Lumpur até Pequim, tendo a sua última localização sido registada nas águas entre a Malásia e o Vietname.

No entanto, ainda não foram encontrados destroços, embora as autoridades do Vietname e da Malásia já tenham dito que as manchas de combustível detetadas no mar estavam perto do local onde foi perdido o contacto com o avião.

Duas pessoas embarcaram no avião desaparecido com passaportes europeus roubados. O ministro dos transportes da Malásia disse que as autoridades estão a investigar as identidades de outros dois passageiros que também estavam no avião.

Entretanto, as autoridades também já referiram que estão a estudar a possibilidade de o piloto ter tentado voltar a Kuala Lumpur, tendo em conta a informação do radar que indica uma mudança de rota.