Defesa

Avião militar afegão cai após cruzar ilegalmente fronteira com o Uzbequistão

Avião militar afegão cai após cruzar ilegalmente fronteira com o Uzbequistão

Um avião militar afegão caiu na noite de domingo no Uzbequistão, uma ex-república soviética na Ásia central que faz fronteira com o Afeganistão, disse, esta segunda-feira, um porta-voz do Ministério da Defesa à agência France-Presse (AFP).

"O avião militar cruzou ilegalmente a fronteira com o Uzbequistão. Uma investigação está em andamento" sobre a queda do aparelho afegão, afirmou Bakhrom Zulfikarov, confirmando relatos da imprensa uzbeque sobre o acidente no dia anterior na província de Surkhondario, no sul, na fronteira com o Afeganistão.

A agência russa Ria Novosti indicou, por sua vez, que o avião foi abatido pela defesa antiaérea uzbeque.

Bekpoulat Okboev, médico de um hospital na província de Surkhondario, disse à AFP que dois pacientes com uniforme das forças armadas afegãs foram hospitalizados na noite de domingo. Um dos pacientes ejetou-se "com um paraquedas", acrescentando que ambos sofreram fraturas. Três outros alegados militares afegãos foram hospitalizados no sábado, segundo a mesma fonte.

O Tajiquistão, outra ex-república soviética na Ásia central, por sua vez, referiu às agências de notícias russas que tinha autorizado o desembarque de vários aviões do Exército afegão, tendo lançado um "sinal de socorro". "Mais de 100 soldados afegãos aterraram no aeroporto de Bokhtar", no sul do país, disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros tajique.

O Afeganistão está nas mãos dos talibãs após o colapso das forças governamentais e a fuga do Presidente, Ashraf Ghani, para o exterior. Privadas de um crucial apoio norte-americano e desmoralizadas, as unidades afegãs tentaram repetidamente fugir para os países vizinhos da Ásia central, especialmente o Uzbequistão, desde que os rebeldes islâmicos lançaram a sua ofensiva, aproveitando a retirada das forças norte-americanas e NATO, que começou em maio.

No domingo, 84 soldados afegãos, que se refugiaram no Uzbequistão para fugir à ofensiva talibã, foram detidos pelas forças uzbeques na fronteira.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG