Mundo

Banda do Bataclan conta como escapou ao tiroteio

Banda do Bataclan conta como escapou ao tiroteio

Os "Eagles of Death Metal", a banda rock que atuava no Bataclan durante os atentados de 13 de novembro em Paris, contam os detalhes de uma noite dramática, em que morreram 89 dos seus fãs. Apesar do ocorrido, a banda quer voltar à sala de espetáculos francesa.

A banda deu uma entrevista à publicação norte-americana "Vice", que já tinha divulgado excertos da conversa com dois dos elementos do grupo.

Esta quarta-feira, foi publicada a entrevista na íntegra e foram conhecidos mais alguns pormenores sobre o momento em que os três atiradores do Bataclan começaram o massacre.

Segundo o vocalista, Jesse Hughes, assim que se ouviram os primeiros disparos, ele e o baixista Matt Mcjunkis correram para fora do palco e em direção aos camarins, subindo umas escadas. Jesse procurava a sua namorada, que não estava ao lado do palco. "Subi a escadas, mas ela não estava no camarim. Saí para o corredor e vi um dos atiradores".

Ao fugir escadas abaixo, cruzou-se com muitas outras pessoas, que procuravam também fugir dos terroristas. Desceram todos e encontraram a porta de saída de emergência. Saíram para uma das ruas laterais à sala de espetáculos. "As pessoas nem sabiam bem o que fazer", contou. "Estava tudo ali parado".

Julian Dorio, o baterista, lembrou também aqueles terríveis momentos. Quando ouviu os tiros, colocou-se atrás da bateria. "Vi dois atiradores a atirar de forma implacável sobre a audiência". Escondeu-se atrás da cortina do palco, com outras pessoas, mas perceberam que ali não tinham saída. Esconderam-se numa sala. Não havia mais nada a fazer, senão "esperar pelo melhor", contou. "O tiroteio durou 10 a 15 minutos", segundo Julian. Ouviram depois uma explosão que fez abanar o edifício. Era uma das explosões provocadas por um dos jiadistas que se matou.

Shawn London viveu também momentos petrificantes. A cabine de som estava colocada perto da entrada da sala e o engenheiro de som apercebeu-se do início dos tiroteios. Conseguiu esconder-se, com mais pessoas perto de si, e assistiu a um dos terroristas a disparar indiscriminadamente a sua arma sobre a multidão. No momento em que pararam os disparos, percebeu que o terrorista estava a tentar recarregar a sua kalashnikov, e tentou fugir. Não foi a tempo. Voltou a esperar até ao momento que foi preciso novamente carregar a arma e correu para a porta. "A porta era de vidro e, quando estávamos prestes a abri-la, ela foi destruída. "O atirador começou a disparar sobre nós e acertou nos vidros".

O vocalista Jess Hughes já tinha revelado que todos os jovens que se esconderam no seu camarim foram assassinados pelos terroristas, à exceção de um, que se escondeu debaixo do seu casaco de cabedal.

Sobre o futuro, a banda já pensa em regressar a Paris. "Eu quero ser a primeira banda a tocar no Bataclan quando reabrir", afirmou Hughes.