Rohingya

Bangladesh transfere milhares de rohingyas para ilha remota

Bangladesh transfere milhares de rohingyas para ilha remota

O Bangladesh começou a transferir centenas de rohingyas para a Bashan Char, uma ilha remota e inabitada na baía de Bengala, que veio à superfície há duas décadas e que, durante as monções, fica inundada. Governo garante que é uma questão de segurança.

Esta decisão foi anunciada há vários anos, mas interrompida pelas críticas de várias organizações humanitárias. O país asiático acolhe cerca de um milhão de muçulmanos rohingyas, minoria perseguida de Mianmar (antiga Birmânia) desde 2017, e que tem procurado refúgio em campos no Bangladesh, nos últimos anos, para fugir à violência. A ONU considerou esta perseguição, por parte do exército birmano, como tentativa de genocídio.

Agora, estão a ser coagidos a mudar-se para a ilha de Bashan Char, apesar de as autoridades do Bangladesh terem garantido que o processo seria voluntário, notícia o jornal espanhol "El País".

"Trouxeram-nos para aqui à força", afirmou à agência Reuters um homem de 31 anos, enquanto subia para o autocarro que o levaria do campo de refugiados de Cox's Bazar, no sudeste de Bangladesh, até à cidade de Chattogram. Dali, partiria para Bhasan Char, que fica a 40 quilómetros da costa e que tem de uma extensão de cerca de 40 quilómetros quadrados.

Ainda assim, o Bangladesh afirma que está apenas a transferir pessoas que estão dispostas a ir e que a mudança diminuirá a sobrelotação crónica nos campos, esclarece a Reuters. "Espero encontrar algum conforto e paz aqui", disse um homem de 46 anos ao chegar à ilha. "Há demasiado sofrimento e conflito nos campos", acrescenta o homem à Reuters.

Num comunicado, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Bangladesh garantiu esta sexta-feira à tarde que os refugiados Rohingya estão a ser realojados devido ao "congestionamento extremo" e à "deterioração de segurança" nos campos.

PUB

A polícia do Bangladesh escoltou o primeiro grupo, mil refugiados, esta quinta-feira. Todavia, desconhecem-se quantos rohingyas serão retirados dos campos para esta ilha.

A organização humanitária Human Rights Watch assegura que o Bangladesh elaborou uma lista de quatro mil pessoas para serem reinstalados em Bhasan Char e que se estão a preparar para alojar naquela ilha cerca de 100 mil rohingyas.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Bangladesh garantiu que a ilha foi equipada com "infraestruturas apropriadas e instalações melhoradas" esperando que as Nações Unidas possam, em breve, trabalhar naquela ilha, ao lado de 22 outros grupos que já concordaram em ajudar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG