Mundo

Barricada pró-russa em quartel-general da frota ucraniana

Barricada pró-russa em quartel-general da frota ucraniana

Ativistas pró-russos bloquearam com uma barricada a entrada do estado-maior da frota ucraniana em Sebastopol, no sul da república autónoma da Crimeia, avança a France Presse.

Os militares ucranianos no interior das instalações "podem sair, se quiserem, mas se o fizerem já não os deixaremos voltar a entrar", afirmou Dmitri, um membro do "grupo de autodefesa" pró-russo, em frente a uma pequena barreira formada por caixas empilhadas, perto da qual se encontra espetada uma bandeira russa.

Entre a vintena de ativistas pró-russos presentes, todos vestidos à civil, alguns ostentam uma braçadeira vermelha na qual está escrito "Bloqueio Russo".

Do outro lado da barreira, soldados ucranianos sem armas, mas envergando camuflados, caminham de um lado para o outro, de mãos nos bolsos.

Muitos edifícios administrativos e bases militares estão igualmente bloqueados na Crimeia por "drujinnki" (homens armados) e os seus aliados cossacos favoráveis a um regresso à órbita da Rússia desta península que fez parte do Império Russo (a partir do final do século XVIII), e depois da Rússia, no âmbito da União Soviética, até 1954, altura em que foi anexada à Ucrânia.

Um navio de guerra russo encontrava-se hoje ancorado no meio do porto de Sebastopol, perto da sua entrada.

É aí que estão atracados não só a frota russa do Mar Negro, mas também dois navios da marinha ucraniana, completamente imobilizados.

A 30 quilómetros desta cidade, na direção de Simferopol, a capital da Crimeia, uma outra barreira de controlo foi levantada na estrada, por membros das forças de autodefesa e dos cossacos. Também aí são visíveis as bandeiras russas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG