parto

Bebé nasce a 36 mil pés de altitude

Bebé nasce a 36 mil pés de altitude

Um bebé nasceu a bordo de um avião a 36 mil pés de altura. O parto foi realizado com a ajuda dos passageiros e atacadores de sapatilhas esterilizados em vodka.

A mãe Katherine Oyedoh, grávida de 37 semanas, viu as suas águas rebentarem em pleno voo, no dia 23 de março, num avião que descolou de Atlanta, Estados Unidos da América, em direção a África.

Auxiliou o parto uma hospedeira de bordo com 29 anos de experiência em voos que admitiu, em declarações prestadas à Fox News, que nunca tinha tido uma passageira que entrasse em trabalho de parto.

Susan Carnes, a hospedeira, afirma que "reagiu imediatamente" mal viu os primeiros sinais de parto na grávida.

Após ter-se dirigido a Katherine, questionando-a se as suas águas tinham rebentado, a hospedeira gritou, perguntando se havia algum médico a bordo. A resposta foi afirmativa.

O médico Patrick Ojukwu prontificou-se a auxiliar e o nascimento da criança acabou por ser uma esforço de equipa.

Com auxílio dos passageiros a bordo, monitorizados pelo médico, um passageiro vigiou a pressão sanguínea da grávida, outro controlou as suas contrações e ainda outro esterelizou os materiais necessários em vodka.

Mal o bebé nasceu, o médico pediu à hospedeira para cortar o cordão umbilical com os atacadores e a tesoura esterilizados em vodka.

A criança, cujo nome é Ebosalume, foi embrulhada de imediato pela hospedeira em jornais e toalhas de papel. "É um rapaz!", gritou Susan Carnes, ao erguer a criança, enquanto se ouviu uma salva de palmas e uma onda de risos dos passageiros.

O avião chegou a terra firme 50 minutos depois do parto, sendo que mãe e filho foram de imediato reencaminhados para um hospital.

O pai do bebé só vai conhecer o filho pessoalmente quando Katherine Oyedoh e Ebosalume regressarem aos Estados Unidos da América, na próxima terça-feira.