Covid-19

Bélgica volta a endurecer medidas de confinamento com fecho de escolas e lojas

Bélgica volta a endurecer medidas de confinamento com fecho de escolas e lojas

O primeiro-ministro belga, Alexandre de Croo, anunciou esta quarta-feira um endurecimento das medidas de confinamento no país por um período de três semanas, com as escolas e lojas novamente de portas fechadas.

Perante a recente subida dos números de contágios e de hospitalizações devido à covid-19, De Croo anunciou hoje o objetivo de "ultrapassar a terceira vaga" da pandemia.

Os estabelecimentos de contactos não médicos, categoria que inclui cabeleireiros e gabinetes de estética, voltam a encerrar a partir de sábado e o comércio não essencial só podem atender por marcação, regras que deverão vigorar até dia 25 de abril.

A partir de segunda-feira, apenas o pré-escolar fica em regime presencial, com todos os outros graus de ensino a regressarem à escola online, com o objetivo de reabrir em 19 de abril, após as férias de Páscoa (de 6 a 16 de abril nas escolas belgas).

Há quase duas semanas que se têm registado fortes subidas nas contaminações com o novo coronavírus SARS-CoV-2 e também nas hospitalizações (mais 28% na média semanal), nomeadamente internamentos nos cuidados intensivos, o que levou o Governo federal a agir.

Há quatro meses que a circulação do vírus não era tão intensa, assinalou De Croo, atribuindo este aumento à estirpe do vírus identificada pela primeira vez na Grã-Bretanha.

PUB

Na terça-feira, a Bélgica registou uma média de quatro mil novas contaminações diárias na média semanal, uma subida de 41% face aos sete dias anteriores.

Hoje, estavam mais de 600 pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos e, desde segunda-feira, os hospitais têm que ter uma reserva de metade de camas de reanimação para doentes de covid-19.

"O maior número de infeções situa-se na faixa etária dos 10 aos 19 anos", disse ainda De Croo, salientando que "as crianças e os jovens adultos que não apresentam sintomas de covid-19 podem infetar pais e avós.

"O objetivo continua a ser o de termos um verão sem preocupações e está ao nosso alcance", disse ainda o primeiro-ministro, confirmando a proibição das viagens não essenciais para fora do país até dia 18 de abril, inclusive, e o teletrabalho mantém-se a regra.

O recolher obrigatório mantém-se inalterado, vigorando entre as 22 e as 6 horas em Bruxelas.

Cerca de um milhão de pessoas já receberam uma dose de vacina da covid-19, num país com 11,5 milhões de habitantes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG