O Jogo ao Vivo

Alemanha

Berlim quer sanções contra o Irão por causa de repressão violenta de protestos

Berlim quer sanções contra o Irão por causa de repressão violenta de protestos

A Alemanha pediu, esta quinta-feira, sanções europeias contra o Irão pela repressão violenta de manifestações de protesto pela morte de uma jovem de 22 anos depois da sua detenção pela polícia de costumes iraniana.

"No seio da União Europeia (UE), farei o possível para que haja sanções contra aqueles que matam mulheres à pancada e abatem manifestantes em nome da religião", afirmou a chefe da diplomacia alemã, Annalena Baerbock, na rede social Twitter.

O Irão intensificou na quinta-feira a pressão sobre celebridades e jornalistas para não encorajarem a vaga de manifestações desencadeadas pela morte de Mahsa Amini.

PUB

"Os 'bastões' e o gás lacrimogéneo não são uma expressão de poder, é medo puro a exprimir-se através da violência do sistema" iraniano, disse ainda a ministra dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, reclamando que "as autoridades iranianas acabem imediatamente com as suas ações brutais".

A ministra reclamou também que sejam esclarecidas as circunstâncias da morte de Mahsa Amini e de "numerosos manifestantes".

O movimento de protesto pela morte da jovem é o mais significativo no país desde 2019 e começou por causa da morte sob custódia da polícia de Mahsa Amini, de 22 anos, no dia 16 de setembro, após a sua detenção por incumprimento dos requisitos de vestuário obrigatório para mulheres.

De acordo com a agência de notícias iraniana Fars, "cerca de 60" pessoas morreram desde o início dos protestos, enquanto a organização não-governamental (ONG) Iran Human Rights, com sede na Noruega, contabiliza pelo menos 76 mortos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG