EUA

Biden anuncia reunião para discutir a violência armada

Biden anuncia reunião para discutir a violência armada

A Casa Branca anunciou, esta sexta-feira, que o presidente Joe Biden vai realizar uma reunião no dia 15 de setembro, que tem como objetivo reunir democratas e republicanos para se encontrar um consenso para a violência de ódio e uso de armas. Este evento surge depois dos múltiplos crimes de ódio e violência nos EUA.

O ano de 2022 já viu 422 tiroteios em massa nos EUA. Estes crimes motivados pelo ódio têm levado a que medidas comecem a ser tomadas em diversas partes dos Estados Unidos.

À luz do elevado número de massacres motivados pelo ódio, o presidente norte-americano, juntamente com os defensores de reforço de armas, convocaram um encontro que visa juntar todos os grupos de direitos civis. Democratas e Republicanos também se vão sentar frente a frente para tomar medidas.

PUB

O massacre de Buffalo, em Nova Iorque, onde 10 pessoas de raça negra foram mortas num supermercado terá sido a gota de água para os defensores da reforma de armas, pressionando Biden a realizar esta reunião para que temas como a violência armada e motivadas pelo ódio, nas diferentes cidades, possam ser endereçadas.

"Como o presidente Biden disse em Buffalo depois do terrível tiroteio, na batalha pela alma da nossa nação todos nos devemos relacionar com esta grande causa da América", disse a secretária de imprensa Karine Jean-Pierre num comunicado.

"O "United We Stand Summit" apresentará uma importante oportunidade para os americanos de todas as raças, religiões, regiões, afiliações políticas e estilos de vida de assumir esta causa juntos"

Em 2017, e ao longo da sua campanha, Biden prometeu trabalhar para fazer a ponte entre as divisões políticas e sociais e promover a unidade nacional. Em maio deste ano, Biden afirmou estar "farto disto" [da violência armada] e prometeu trazer mudanças.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG