Chile

Bispo chileno investigado por suspeita de pedofilia

Bispo chileno investigado por suspeita de pedofilia

O Vaticano está a investigar um bispo chileno por alegado abuso sexual de menores, tratando-se do clérigo católico mais sénior num escândalo que já envolveu 20 padres.

A investigação da igreja ao bispo da cidade de Iquique, Marco Antonio Ordenes, 47 anos, foi desencadeada em abril, não tendo sido divulgados pormenores sobre o caso, avançou a AFP.

"Porque a pessoa acusada é um bispo, o processo está a cargo da Santa Sé", disse em conferência de imprensa o porta-voz da Conferência Episcopal Chilena, Jaime Coiro.

Coiro adiantou que desde o início deste caso, a Embaixada do Vaticano na capital chilena ofereceu apoio psicológico às pessoas afetadas e tem estado em contacto com monsenhor Ordenes, que se encontra de baixa médica.

O jornal "La Tercera" noticiou que a investigação está a ser conduzida pelo representante do Vaticano no Chile, arcebispo Ivo Scapolo, e que Ordenes se encontra no Peru a recuperar de um problema congénito do fígado.

A igreja não deu pormenores sobre as alegadas vítimas ou as circunstâncias que rodearam o alegado abuso.

Na semana passada, a Conferência Episcopal divulgou um pedido público de desculpas relativamente aos casos de abuso sexual, que envolveram cerca de 20 padres nos anos mais recentes, cinco dos quais foram julgados e condenados por ofensas sexuais.