Venezuela

Bispos apoiam recontagem votos na Venezuela e oferecem-se para mediação

Bispos apoiam recontagem votos na Venezuela e oferecem-se para mediação

A Conferência Episcopal Venezuelana apelou na quarta-feira ao diálogo entre o Governo e os opositores e ofereceu-se para mediar as partes, mas apoiou o pedido da oposição para uma recontagem dos votos da eleição presidencial.

Esta recontagem daria tranquilidade ao país, justificou a estrutura da Igreja Católica.

"A oposição solicitou ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) uma auditoria de 100% dos votos. Esta pretensão (...) não ignora o trabalho do CNE. Pelo contrário, reforçaria a sua autoridade moral e daria tranquilidade à população", sustentou a Conferência Episcopal, em comunicado.

Na opinião dos bispos venezuelanos, a estreita diferença de votos dos resultados eleitorais, que deram a vitória a Nicolás Maduro, deixaram à vista "a aguda polarização política que a sociedade está a viver".

O candidato da oposição nas eleições presidenciais apresentou na quarta-feira um recurso ao CNE para impugnar os resultados que deram a vitória a Nicolás Maduro.

Numa mensagem divulgada através do Twitter, Henrique Capriles anunciou a reunião da sua equipa de campanha com o CNE para reclamar formalmente a recontagem dos votos do escrutínio de domingo.

Capriles, 40 anos, alega uma série de irregularidades que afetam "mais de um milhão de votos" e exige uma nova contagem dos boletins emitidos pelas máquinas de voto eletrónico.

De acordo com o CNE, Nicolás Maduro venceu as eleições de domingo com 7.575.506 votos (50,78%), contra os 7.302.641 votos (48,95%) de Capriles, existindo uma diferença de cerca de 200 mil votos.

O Supremo Tribunal de Justiça venezuelano fez saber que está posta de parte a hipótese de recontagem manual dos votos por causa da automatização do escrutínio.

Outras Notícias