Reino Unido

Britânica multada por partilhar imagens falsas de "hospitais vazios"

Britânica multada por partilhar imagens falsas de "hospitais vazios"

Uma ativista anti-confinamento partilhou fotografias e vídeos falsos de "hospitais vazios" durante a pandemia, no Reino Unido. Foi multada no valor de 225 euros por infringir as regras da covid-19 impostas pelas autoridades.

Hannah Dean, de 30 anos, é mãe de dois filhos e está em envolvida em protestos anti-confinamento nas redes sociais. Divulgou vários vídeos e fotografias na conta do Facebook alegadamente a expor os hospitais do Reino Unido vazios e foi arduamente criticada, uma vez que o país está a atravessar novamente um novo surto, com o aumento do número de casos devido à nova variante. Só ontem o país registou 45 mil casos diários.

As imagens foram recolhidas em diferentes centros hospitalares do Reino Unido: o hospital Queen Alexandra, em Portsmouth, o Southampton General, o hospital universitário Princess Royal, em Bromley e o St Richard, em Chichester. As fotografias supostamente mostravam os "hospitais vazios", dizendo Hannah que a pandemia é fictícia.

Dean foi multada no montante de 225 euros por sair de casa durante o confinamento sem uma razão válida e quebrar o "regulamento de proteção de saúde (restrições coronavírus) 2020", revela a polícia de Portsmouth. "Alguns de vocês já terão visto os relatórios de pessoas que frequentam hospitais locais, para tirar fotografias de partes do hospital que não estão na linha da frente na luta contra a COVID-19, utilizando-as para sugerir que os hospitais não estão sobrecarregados", lê-se no comunicado.

Os vídeos divulgados "são uma mentira", realça Simon Stevens, responsável pelo Serviço Nacional de Saúde inglês.

O chefe executivo do hospital de Portsmouth, Mark Cubbon, considerou a publicação ofensiva e desrespeitosa para os profissionais de saúde que cuidam diariamente de pacientes infetados com o vírus SARS-Cov-2.

PUB

Nas visitas aos hospitais a jovem referiu que utilizou sempre máscara, mas "nem todos os hospitais estão cheios e sob pressão", assegura. A polícia "não tem motivos para me deter. Não estou sob investigação. Não fui multada", acrescenta a ativista, apesar de a multa já ter sido emitida.

Uma minoria do público está "a pôr em risco a saúde da nação", diz Priti Patel, secretária de Estado dos Assuntos Internos.

Outras Notícias