UE

Bruxelas insta Portugal a transpor lei europeia contra branqueamento de capitais

Bruxelas insta Portugal a transpor lei europeia contra branqueamento de capitais

A Comissão Europeia instou esta quarta-feira Portugal e sete outros Estados-membros a transporem efetivamente a legislação europeia em matéria de combate ao branqueamento de capitais, apontando que "os recentes escândalos" tornam evidente a necessidade de regras rigorosas.

No mesmo dia em que se vai realizar um debate no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, sobre branqueamento de capitais na UE, à luz das revelações do 'Luanda Leaks', a Comissão Europeia anunciou, no quadro da adoção do seu pacote mensal de processos de infração aos Estados-membros por incumprimento da legislação comunitária, que oito Estados-membros não notificaram ainda Bruxelas de "quaisquer medidas de execução" relativamente à mais recente diretiva (a quinta) sobre branqueamento de capitais, que deveria ter sido integralmente transposta até 10 de janeiro passado.

Além de Portugal, estão em alegado incumprimento Chipre, Hungria, Holanda, Roménia, Eslováquia, Eslovénia e Espanha, tendo estes oito países recebido "cartas de notificação para cumprir", o primeiro passo de um processo de infração, apontando Bruxelas que, "sem uma resposta satisfatória dos Estados-membros no prazo de dois meses, a Comissão pode decidir enviar-lhes pareces fundamentados", o segundo e último passo antes da apresentação de uma queixa perante o Tribunal de Justiça da UE.

Segundo Bruxelas, "as regras contra o branqueamento de capitais são fundamentais na luta contra o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo", e "os recentes escândalos de branqueamento de capitais revelaram a necessidade de regras mais rigorosas a nível da UE".

Sublinhando que "as lacunas legislativas de um Estado-membro têm impacto no conjunto da UE", pelo que "as regras da UE devem ser aplicadas e supervisionadas de forma eficiente, a fim de combater a criminalidade e proteger o sistema financeiro", o executivo comunitário "lamenta que os Estados-membros em causa não tenham transposto a diretiva em tempo útil e incentiva-os a fazê-lo com urgência, tendo em conta a importância destas regras para o interesse coletivo da UE".

Esta quarta-feira mesmo, o Parlamento Europeu, reunido em sessão plenária em Estrasburgo, vai ter um debate sobre branqueamento de capitais na União Europeia (UE), à luz das revelações do 'Luanda Leaks' sobre os esquemas financeiros da empresária angolana Isabel dos Santos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG