Mundo

Buraco provocado por funcionário do UBS afinal é de 1,6 mil milhões

Buraco provocado por funcionário do UBS afinal é de 1,6 mil milhões

O banco suíço UBS revelou este domingoque a perda devido a uma operação de trading não autorizada no sector da banca de investimento subiu de dois mil milhões de dólares para 2,3 mil milhões (1,666 mil milhões de euros).

Na quinta-feira, o banco anunciou que estava em curso um inquérito e que se estimava que a perda associada ao incidente fosse de cerca de dois mil milhões de dólares (cerca de 1,45 mil milhões de euros).

Hoje foi divulgado que essa perda já subiu para 2,3 mil milhões de euros.

A fraude decorreu durante os três últimos meses e foi possível porque o operador de mercados responsável, entretanto detido, escondeu os riscos gerando dados fictícios.

Entretanto, a polícia londrina deteve o corretor do banco suíço UBS que terá encetado a fraude.

De acordo com o jornal britânico Finantial Times, Kewku Adoboli foi detido pelas autoridades inglesas na manhã de quinta-feira no bairro financeiro da capital londrina, estando a ser investigado pelo seu alegado envolvimento na fraude.

O banco não identificou a divisão de onde terão saído estas perdas, adiantando apenas num comunicado que as posições dos seus clientes não foram afectadas, mas Kewku Adoboli (como o próprio escreve na sua página da rede social LinkedIn) era 'trader' na divisão Delta1, do braço de investimento do UBS.

Este departamento, entre outras competências, é normalmente um dos últimos recursos dos bancos para negociações próprias dos bancos de investimento, com recurso a ativos do banco.

Este tipo de divisões Delta1 existe em outros bancos de investimento e foi onde o já condenado 'trader' da Société Général Jerome Kerviel também terá encetado negócios com dimensões avultadas (na ordem dos 50 mil milhões de euros), acabando por provocar perdas ao banco francês na ordem dos 4,9 mil milhões de euros.

Numa carta enviada aos trabalhadores do banco, o presidente do UBS, Oswald Gruebel, explicou que é possível que este incidente possa levar o UBS a apresentar prejuízos no terceiro trimestre.

"Não existem posições de clientes afectadas. Entendemos que vocês já tiveram de lidar com mercados desfavoráveis e voláteis de algum tempo a esta parte. Apesar das notícias serem preocupantes, não irá mudar a solidez fundamental da nossa empresa", disse o presidente do UBS na mesma mensagem.

Outras Notícias