O Jogo ao Vivo

Brasil

Campanha "Lula Livre" passa agora a "Volta Lula"

Campanha "Lula Livre" passa agora a "Volta Lula"

O ex-vice-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) Aloízio Mercadante disse hoje que vencida a campanha "Lula Livre", começa a "Volta Lula" que implica a anulação da condenação do ex-chefe de Estado brasileiro, passo fundamental para uma eventual candidatura em 2022.

"Nós vamos passar agora do 'Lula Livre' a 'Volta Lula'. Quando Lula começar a andar pelo Brasil e o povo se reencontrar com ele, vamos viver um segundo momento. O Brasil profundo vai reagir e Lula representa muito para esse Brasil", afirmou Aloízio Mercadante à agência Lusa, em Buenos Aires, capital da Argentina, à margem de uma reunião do Grupo de Puebla, uma nova aliança progressista que pretende ser uma alternativa à onda de direita na América Latina.

Luiz Inácio Lula da Silva foi libertado hoje da prisão, na sequência da decisão do Supremo Tribunal Federal brasileiro (STF) de anular prisões em segunda instância, como era o caso do antigo chefe de Estado, preso desde abril de 2018 na sede da Polícia Federal de Curitiba, estado do Paraná, sul do Brasil.

O histórico líder do PT foi preso após ter sido condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), num processo sobre a posse de um apartamento, que os procuradores alegam ter-lhe sido dado como suborno em troca de vantagens em contratos com a estatal petrolífera Petrobras pela construtora OAS.

"Mais importante que a decisão do STF é a votação do 'habeas corpus' que também está no STF, onde reivindicamos que o juiz Sergio Moro [atual ministro da Justiça do Brasil] não foi imparcial. Teve uma atitude incompatível com o Código de Processo Penal. Estamos convictos que esse julgamento será anulado", afirmou Aloízio Mercadante, que foi ex-ministro da Educação e ex-chefe da Casa Civil de Lula da Silva e de Dilma Rousseff.

"O plano é lutar pela anulação do processo e que ele tenha pleno direito de se apresentar como candidato às eleições", frisou.

Questionado se a campanha "Volta Lula" poderá ser o lançamento da campanha às eleições presidenciais de 2022, Aloízio Mercadante declarou que a decisão será do antigo chefe de Estado, mas considerou que o ex-presidente terá um papel determinante no sufrágio que pode colocar Lula da Silva contra o atual presidente do país, Jair Bolsonaro, que poderá tentar a reeleição.

"Há muita coisa para acontecer ainda no Brasil até 2022, mas Lula é uma figura central na História do Brasil e será uma figura determinante na eleição de 2022. Sendo ou não candidato, terá papel decisivo", avalia Mercadante, amigo de Lula da Silva.

"Se ele puder ser candidato, o povo e a militância vão lutar por isso e nós vamos lutar por esse direito porque acreditamos na inocência dele", afirmou, referindo que esse é o plano da militância a partir de agora.

Para o antigo ministro, hoje é um "dia histórico" para o país e "uma grande derrota política" para Jair Bolsonaro, porque o primeiro é o oposto de tudo o que o atual chefe de Estado representa.

"Lula tem uma longa trajetória de compromisso com a democracia, com a liberdade, com o respeito pelas minorias, com a sustentabilidade do meio ambiente, com valores civilizacionais. Bolsonaro é a negação de tudo isso", declarou Mercadante para quem Bolsonaro só foi eleito presidente graças à "injusta" condenação de Lula.

"Está claro que Lula teria vencido as eleições se não o tivessem impedido de ser candidato", considerou.