EUA

Hackers roubaram quase dois milhões de euros da campanha de Trump, diz Partido Republicano

Hackers roubaram quase dois milhões de euros da campanha de Trump, diz Partido Republicano

Os republicanos do estado norte-americano do Wisconsin denunciaram esta quinta-feira que piratas informáticos direcionaram o dinheiro pago a fornecedores para contas privadas. O valor que deveria ter ido para o merchandising da campanha de Donald Trump, como chapéus, está agora em parte incerta.

Andrew Hitt, porta-voz do Partido Republicano em Wisconsin, avançou à agência de notícias "Associated Press" que os hackers poderão ter atuado através de um esquema de phishing (fraude na Internet que consiste no roubo de dados pessoais como palavras-passe). Hitt afirmou que a atividade suspeita foi registada a 22 de outubro e o FBI já tomou conta do caso. O valor roubado pode ascender aos 1,9 milhões de euros.

O Wisconsin é considerado um estado decisivo, o chamado "swing state", ou seja, na noite das eleições presidenciais de 3 de novembro pode pender para qualquer um dos lados, os democratas ou os republicanos. Em 2016, Donald Trump venceu lá, mas em 2020, nada está garantido. Por isso, a campanha tem de ser mais forte do nunca.

"Não há dúvida nenhuma que o Partido Republicano do Wisconsin está em desvantagem com o desaparecimento deste dinheiro", disse Andrew Hitt. Segundo o porta-voz do partido neste estado, os hackers terão manipulado as faturas de vários fornecedores, o que fez com o dinheiro fosse enviado para os piratas informáticos e não para quem de direito.

Esta sexta-feira, Donald Trump e Joe Biden vão estar em campanha no Wisconsin. O presidente dos EUA e candidato republicano faz a terceira visita a este estado numa semana, o que demonstra a importância do Wisconsin para a votação presidencial. As sondagens mostram para já que Biden está à frente nas intenções de voto.

Outras Notícias