La Palma

Canárias em risco de nova erupção vulcânica após 4200 sismos

Canárias em risco de nova erupção vulcânica após 4200 sismos

As autoridades lançaram um alerta de risco de uma possível erupção vulcânica na ilha de La Palma depois de terem sido registados mais de 4200 sismos nos últimos dias.

A ilha de La Palma, no arquipélago das Canárias, tem registado mais de 4200 pequenos sismos e uma deformação no solo, o que indica a existência de magma "inquieto" no subsolo e a probabilidade de uma erupção vulcânica. A última vez que houve uma erupção vulcânica foi há 50 anos, com a erupção do Vulcão de Tenerife, em outubro de 1971.

A equipa que se encontra a vigiar a evolução deste fenómeno não descarta a possibilidade de uma erupção vulcânica, mas avisa que ainda faltam alguns passos para haver uma erupção.

PUB

"Não podemos fazer um prognóstico a curto prazo", avisou María José Blanco, diretora do Instituto Geográfico Nacional (IGN). "Tudo indica que vai evoluir para territórios de maiores magnitudes e vai ser sentido pela população".

Desde 11 de setembro, foram detetados sismos mais próximos da superfície e quatro deles tiveram magnitude superior a três. Os primeiros movimentos foram detetados a 20 quilómetros de prefundidade e, esta quarta feira, já foram sentidos a seis e oito quilómetros de profundidade com 20 movimentos de pequena magnitude a menos de três quilómetros de prefundidade. Outro sinal da existência de pressão na superfíce passa pelo facto de a ilha já ter "abanado" seis centímetros. Só na quarta-feira, foram 4,5.

María José Blanco afirma que o fenómeno é muito mais energético do que o que se viu na ilha de El Hierro, arquipélago das Canárias. Em três dias, foi libertada tanta energia em Las Palma como foi libertada em El Hierro durante semanas.

A vulcanologista acredita que ainda não há indicios de uma erupção vulcânica para já, porque ainda "não houve um terramoto que abra caminho ao magma que está a provocar sismos" referiu.

Devido ao aumento da magnitude dos sismos, o comité ciêntifico do Plano de Prevenção de Riscos Vulcânicos nas Ilhas Canárias elevou, na terça-feira, para amarelo o risco de uma possível erupção. Na reunião de quarta-feira, o comité decidiu manter o risco em amarelo, mas advertiu que "é provável a ocorrência de terramotos com mais intensidade".

O diretor da Área de Vigilância Vulcânica do Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan), Luca D"Auria, adianta que "o mais provável é que o magma tenha encontrado o caminho até à superficie e é muito provavel que consiga chegar até ela".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG