Xenofobia

Candidata a Miss França insultada por ter ascendência israelita

Candidata a Miss França insultada por ter ascendência israelita

A candidata da Provença a Miss França 2021 foi alvo de comentários antissemitas no Twitter, durante o concurso de beleza que decorreu no sábado. A polícia está agora a investigar o incidente na rede social.

April Benayoum, de 21 anos, foi a candidata da região da Provença à Miss França 2021 este sábado e ficou em segundo lugar. Porém, após revelar numa entrevista as suas raízes israelitas, foi alvo de vários ataques antissemitas através de comentários maliciosos no Twitter. Os tweets geraram uma onda de indignação e foram imediatamente criticados por políticos franceses e grupos judaicos.

A jovem tomou conhecimento do sucedido através dos seus familiares. "É triste testemunhar tal comportamento em 2020. Condeno obviamente estes comentários, mas isso não me afeta em nada", afirma Benayoum, citada pela BBC News.

Foram vários os políticos franceses que demonstraram o descontentamento face ao que aconteceu com April. O ministro do Interior francês, Gérald Darmanin, revelou estar "completamente chocado pela quantidade de insultos" à Miss Provença, num tweet na sua conta pessoal. "Não podemos deixar o assunto passar", pelo que irá ser feita uma investigação por parte da polícia, acrescenta. Marlène Schiappa, ministra da Cidadania, escreveu que a competição "não era um concurso de antissemitismo". "Os ataques são uma abominação. Benayoum é francesa, de origem italiana e israelita, da Provença do Sul, e representa perfeitamente a nossa região e o nosso país", sublinhou Renaud Muselier, antigo deputado francês do Parlamento Europeu. Os organizadores do evento fizeram questão de denunciar o "discurso de ódio" contra a jovem, realçando que o mesmo é "totalmente contrário aos valores do canal, da produção e do espetáculo".

A vencedora deste ano, Amandine Petit (Miss Normandia), disse que as "observações eram inapropriadas" e "extremamente dececionantes" de ver. Segundo a Liga Internacional Contra o Racismo e Antissemitismo (Licra), o concurso transformou o Twitter numa "fossa antissemita contra a Miss Provença".

A Amnistia Francesa recorda a importância da luta contra a discriminação, principalmente num momento em que o mundo assiste a comentários insultuosos, antissemitas e racistas contra à jovem April Benayoum e à jornalista Rokhaya Diallo, também alvo de comentários racistas.

PUB

A França tem o maior número de população judaica na Europa, cerca de meio milhão, e nos últimos anos são vários os judeus a serem alvos de ataques de ódio. Em 2018, um inquérito da União Europeia revelou que 95% dos judeus consideram o antissemitismo um grave problema.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG