Violência

Carga policial em protestos contra prisão de Pablo Hasel em Madrid e Barcelona

Carga policial em protestos contra prisão de Pablo Hasel em Madrid e Barcelona

Quatorze detidos em Madrid e cinco polícias feridos nas manifestações pela libertação do rapper Pablo Hasél.

A violência escalou esta quarta-feira à noite, em Madrid, depois de uma jovem de 19 anos ter perdido um olho, na terça-feira, na manifestação contra a prisão do rapper Pablo Hasél, em Barcelona. A polícia de Madrid fez, até ao momento, 14 detenções. Há cinco polícias feridos.

Na capital espanhola centenas de pessoas envolveram-se em confrontos com as autoridades no coração da cidade, na Puerta del Sol, num protesto não autorizado.

Os manifestantes envergaram cartazes em que pediam "Liberdade para Pablo Hasél" e acusam o Governo de "fazer justiça como o ditador Francisco Franco". A polícia foi atacada com vários objetos e pedras e as Unidades de Intervenção Policial (UIP), avançaram sobre os manifestantes.

Esta quarta-feira foi o segundo dia de protestos, na Catalunha com barricadas feitas de contentores em chamas e garrafas e pedras atirados aos Mossos d"Esquadra (polícia catalã). Na Catalunha, os protestos alargaram-se também a outras cidades como ​Girona e Lérida.

Pablo Casado, líder do PP espanhol acusou o deputado Pablo Echenique do Podemos de estimular os manifestantes ao expressar o seu "apoio aos jovens antifascistas que pedem justiça e liberdade de expressão".

PUB

O rapper de 33 anos foi detido na terça-feira, na Universidade de Lérida, depois de não cumprir a ordem que lhe tinha sido dada para se apresentar voluntariamente. O músico terá de cumprir uma pena de dois anos por "enaltecer o terrorismo e injúrias à Coroa espanhola", nas suas letras.

Confrontos também junto à prisão onde está o rapper espanhol

Outra manifestação com cerca de um milhar de pessoas acabou em confrontos com a polícia em Lleida, perto da penitenciária onde está detido o rapper, condenado a nove meses de prisão.

O protesto começou de forma pacífica e decorreu até às portas do centro Penitenciário Ponent sem incidentes, onde foram cantadas músicas de Pablo Hasél​​.

Quando os manifestantes se aproximaram da prisão, alguns dos presos inclinaram-se para fora das janelas para gritar "liberdade de expressão", enquanto as pessoas que estavam na manifestação gritavam slogans a favor da liberdade do músico.

Os incidentes começaram a partir das 21 horas, quando os manifestantes ergueram barricadas com caixotes de lixo que foram incendiados perto da prisão, onde havia uma forte presença policial.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG