EUA

Casa Branca cancela "briefing" diário sobre a Covid-19

Casa Branca cancela "briefing" diário sobre a Covid-19

A Casa Branca cancelou, esta segunda-feira, o "briefing" diário sobre a pandemia de Covid-19, em que o presidente dos EUA participava, enquanto Donald Trump usa a sua conta no Twitter para atacar os jornalistas.

Depois de ter anunciado mais uma sessão de esclarecimento sobre a evolução no combate à pandemia de Covid-19, agendada para o final da tarde, a Casa Branca disse que esse "briefing" tinha sido cancelado.

Donald Trump não gostou da controvérsia provocada pelas suas declarações no "briefing" de sexta-feira, sobre a possibilidade de uma cura para o novo coronavírus à base de ingestão de desinfetantes, e, no sábado, deu a entender que poderia deixar de estar presente na sala de imprensa.

Trump usou a sua conta pessoal da rede social Twitter para dizer que considerava um desperdício de "tempo e esforço" a sua presença nos encontros com jornalistas sobre a pandemia.

"Para quê dar conferências de imprensa quando os 'media' apenas colocam perguntas hostis e depois recusam reportar a verdade ou factos com rigor", queixou-se o presidente, no sábado.

A Casa Branca cancelou a sessão diária de esclarecimentos e o presidente voltou às críticas aos jornalistas, no Twitter, acusando-os de deturpar as suas mensagens.

"Notícias falsas! Os inimigos do povo!", escreveu Trump, adotando uma fórmula que tem usado por várias vezes desde que tomou posse como presidente, em 2017.

"Nunca houve na história do nosso país meios de comunicação social tão desagradáveis e hostis como a que temos hoje, mesmo em pleno estado de emergência para enfrentar o inimigo invisível", defende Trump.

Os Estados Unidos registam cerca de um milhão de casos de infeção com o novo coronavírus, incluindo mais de 50 mil mortes.