Londres

Casal despediu-se dos pais ao telefone quando a morte parecia inevitável

Casal despediu-se dos pais ao telefone quando a morte parecia inevitável

Um jovem casal italiano, que consta da lista de pessoas desaparecidas no incêndio da Torre Grenfell, em Londres, despediu-se dos pais ao telefone, quando a morte parecia inevitável.

"Eles queriam descer, mas viam as chamas a subir pelas escadas e o fumo era cada vez mais intenso", revela Giannino Gottardi, pai de Marco, que vivia com a namorada, a também italiana Gloria Trevisan, na Torre Grenfell, em Londres.

Giannino Gottardi estava ao telefone com o filho quando o fogo tomou o apartamento, no 23.º andar, onde o filho residia. "Estivemos ao telefone até ao último momento... Às 4.07 horas, disse-nos que o apartamento estava inundado de fumo e que a situação era de emergência", contou Giannino Gottardi.

"A chamada caiu e nunca mais conseguimos falar", acrescentou, em declarações ao jornal italiano "Il Mattino di Padova". Giannino diz que fez centenas de chamadas após a última conversa desesperada com o filho, mas nunca mais o ouviu. Ou soube dele.

Marco Gottardi, e a namorada, Gloria Trevisan, estão dados como desaparecidos, após o incêndio em Londres. Provavelmente, mortos.

"Ouvi a gravação da conversa de Gloria com a mãe e não há esperança de que esteja viva", disse Maria Christina Sandrin, advogada da família Trevisan.

"Obrigado mãe por tudo o que fizeste por mim", terão sido as últimas palavras de Gloria Trevisan, ao telefone com a mãe, de Londres para Veneza, quando se despediu, numa altura em que as chamas e o fumo tomavam o apartamento.

Marco Gottardi e Gloria Trevisan, arquitetos, ambos de 27 anos, vivam em Londres há três meses. Gloria tinha publicado algumas fotos da vista do apartamento no 23.º andar e até de um pormenor da janela.

Estarão entre as vítimas ainda por contabilizara do incêndio na Torre Grenfell, e que podem nunca vir a ser identificadas.