Alemanha

Centenário acusado de crimes nazis diz estar inocente

Centenário acusado de crimes nazis diz estar inocente

Um antigo guarda de um campo de concentração, atualmente com 100 anos de idade -- a pessoa mais velha acusada de crimes nazis -, disse esta sexta-feira estar "inocente" das acusações, no segundo dia do seu julgamento na Alemanha.

"Não sei nada sobre isso", afirmou Josef Schütz, acrescentando estar inocente, quando questionado sobre as suas atividades durante a II Guerra Mundial no campo de concentração de Sachsenhausen, perto de Berlim.

"Está tudo baralhado [na minha cabeça]", prosseguiu, queixando-se de "estar sozinho" no banco dos réus do tribunal de Brandemburgo no Havel, onde o julgamento deverá decorrer até ao início de janeiro.

Schütz foi, entretanto, interrompido pelo seu próprio advogado, Stefan Waterkamp, que tinha avisado na véspera que o seu cliente não iria falar sobre o período das acusações. "Tínhamos acordado isto com a Defesa", protestou.

Josef Schütz, um antigo oficial da divisão "Totenkopf" ("Caveira") das Waffen-SS (o braço militar da organização nazi), está a ser julgado por "cumplicidade no assassinato" de 3.518 prisioneiros enquanto operou no campo de concentração de Sachsenhausen, entre 1942 e 1945.

A segunda audiência do julgamento foi dedicada à sua vida antes e depois da guerra.

PUB

Schütz chegou sozinho e com a ajuda de um andarilho, mas com um andar relativamente confiante, tendo descrito com detalhe aspetos da sua vida passada, incluindo a época em que trabalhou na quinta familiar, na Lituânia, com os seus sete irmãos e irmãs, e depois o alistamento no exército, em 1938.

Depois da guerra, foi transferido para um campo de prisioneiros na Rússia e instalou-se na Alemanha, em Brandemburgo, uma região perto de Berlim, trabalhando sucessivamente como agricultor e serralheiro.

Em várias ocasiões, o acusado falou especificamente sobre os aniversários passados com as suas filhas e netos e sobre o quanto a sua mulher o admirava.

"Ela estava sempre a dizer-me: não há homem como tu no mundo", contou.

Vinte audiências, limitadas a duas horas devido à sua idade avançada, estão ainda agendadas até ao início de janeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG