Vírus

Centro europeu admite ser "provável" mais casos na UE além de França e Alemanha

Centro europeu admite ser "provável" mais casos na UE além de França e Alemanha

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças admitiu hoje como "provável" surgirem mais casos de coronavírus chinês importados para a União Europeia (UE), além de França e Alemanha, mas manteve o risco de contágio no nível 'moderado'.

"Nesta fase do surto [...], é provável que haja mais casos importados para a Europa", indica o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC, sigla inglesa) num comunicado hoje divulgado.

De acordo com esta entidade, pode esperar-se "uma transmissão local e limitada" na UE, mas isso "não altera o quadro geral para a Europa, nem altera a avaliação de que atualmente existe uma probabilidade 'moderada'" de contágio.

"À medida que mais casos são relatados globalmente, isso também aumenta a probabilidade de casos" na UE, mas estes são aumentos "esporádicos", assegura a ECDC.

Ainda assim, este centro europeu volta a apelar aos Estados-membros da UE que adotem "medidas oportunas e rigorosas de prevenção e controlo de infeções", isto com o "fim de evitar uma maior disseminação na comunidade e nos serviços de saúde".

Também hoje, foi anunciado que a UE vai enviar dois aviões, entre quarta e sexta-feira, à região chinesa de Wuhan que vão repatriar, devido ao coronavírus, 250 franceses e outros 100 cidadãos europeus que o solicitem, independentemente da nacionalidade.

A China elevou para 106 mortos e mais de 4.000 infetados o balanço do novo coronavírus detetado no final do ano em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).

As autoridades de Pequim confirmaram a primeira morte na capital chinesa de uma pessoa infetada pelo novo coronavírus (2019-nCoV), um homem de 50 anos que esteve na cidade de Wuhan, em 08 de janeiro.

Um primeiro caso confirmado na Alemanha de contaminação com este vírus foi registado esta segunda-feira, o segundo país afetado da Europa, depois de França.

Além do território continental da China, também foram reportados casos de infeção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, França, Alemanha, Austrália e Canadá.

As autoridades chinesas admitiram que a capacidade de propagação do vírus se reforçou.

As pessoas infetadas podem transmitir a doença durante o período de incubação, que demora entre um dia e duas semanas, sem que o vírus seja detetado.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG