Coronavírus

Centro Europeu antevê mais casos em Itália e noutros países europeus

Centro Europeu antevê mais casos em Itália e noutros países europeus

O Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC, na sigla em inglês) classificou de "essenciais" as medidas extraordinárias tomadas pelas autoridades italianas para conter o surto do novo coronavírus no norte do país.

Em comunicado, a organização sediada em Estocolmo alertou para a expectativa de aumento do número de casos confirmados em Itália e noutros países europeus, nos próximos dias.

"Essas medidas extraordinárias no norte da Itália são essenciais para limitar o surto e podem precisar de ser replicadas noutras comunidades nos próximos dias", escreve o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças, no comunicado hoje divulgado.

O organismo refere ainda que está a acompanhar de perto a situação e que se mantém em contacto próximo com as autoridades italianas de saúde, para "fornecer toda a assistência necessária nesta fase, e apoiar os seus esforços para limitar a transmissão local".

"Como a situação está a evoluir rapidamente, são esperados mais casos em Itália e possivelmente na União Europeia nos próximos dias", acrescentaram especialistas do ECDC.

O Ministério da Saúde de Itália aumentou para 132 o número de infetados em quatro regiões, depois de realizar quase três mil análises de suspeitos, e há pelo menos dois mortos.

Onze locais, com um total de cerca de 50 mil habitantes, foram isolados, o Carnaval de Veneza foi cancelado e as aulas foram suspensas em escolas de três regiões italianas. O conhecido Teatro alla Scala, de Milão, suspendeu este domingo todas as suas atividades.

Desde que foi detetado no final do ano passado, na China, o coronavírus Covid-19 provocou 2.467 mortos e infetou mais de 78 mil pessoas a nível mundial.

A maioria dos casos ocorreu na China, em particular na província de Hubei, no centro do país, a mais afetada pela epidemia.

Além de 2.442 mortos na China continental, morreram oito pessoas no Irão, quatro no Japão, duas na região chinesa de Hong Kong, cinco na Coreia do Sul, duas em Itália, uma nas Filipinas, uma em França, uma nos Estados Unidos e uma em Taiwan.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG