Migrações

Cerca de 140 cidades alemãs querem acolher crianças refugiadas

Cerca de 140 cidades alemãs querem acolher crianças refugiadas

Cerca de 140 cidades alemãs ofereceram-se para acolher crianças refugiadas vítimas da crise migratória na fronteira entre a Turquia e Grécia, pedindo autorização ao Governo central para essa decisão.

A iniciativa foi divulgada, esta sexta-feira, através de uma carta enviada à chanceler alemã, Angela Merkel, por autarcas de sete grandes cidades alemãs (de diferentes partidos políticos), em representação de uma aliança que reúne cerca de 140 localidades, intitulada Portos Seguros.

Os presidentes das câmaras de Colónia, Dusseldorf, Potsdam, Hannover, Freiburg, Rottenburg de Neckar e Frankfurt no Odre recordam que a situação nas ilhas gregas "piorou acentuadamente nos últimos dias" e pede a Berlim para parar "imediatamente" a tentativa de bloquear estas iniciativas de acolhimento de refugiados, criticando uma decisão do Parlamento nesse sentido.

"Os campos de refugiados estão totalmente saturados. Há falta de infraestruturas básicas, as áreas de proteção são totalmente inapropriadas para crianças e mulheres", denunciam os autarcas alemães.

Os autarcas pedem que o Governo central, de coligação com conservadores e social-democratas, permita que as cidades que o desejem voluntariamente acomodem refugiados menores.

A aliança Portos Seguros diz estar preparada para hospedar "imediatamente, sob um programa urgente, até 500 crianças desacompanhadas menores de 14 anos" entre as que neste momento se encontram nas ilhas gregas "em condições inaceitáveis".

"Essas crianças devem ser ajudadas imediatamente, especialmente as crianças cujos pais, em muitos casos, já não estão vivos, encontrando-se sozinhos nos campos de refugiados", argumentam os autarcas, alguns dos quais visitaram as ilhas, nos últimos dias.

Entre os signatários da carta enviada a Angela Merkel estão políticos conservadores, social-democratas, ecologistas, de movimentos de esquerda e independentes.

O Parlamento alemão rejeitou, na quarta-feira, uma proposta dos Verdes para a Alemanha acolher cinco mil crianças de campos de refugiados gregos, com 495 votos contra e apenas 117 a favor.

Os partidos que fazem parte da coligação do Governo alemão votaram contra, argumentando que a solução para a crise na fronteira entre a Turquia e a Grécia deve ser articulada no âmbito dos planos da União Europeia.

A mesma coligação governamental de conservadores e social-democratas permitiu que mais de um milhão de refugiados entrasse na Alemanha, entre 2015 e 2016.

Outras Notícias