Hugo Chávez

Chávez surge na televisão de cabelo rapado

Chávez surge na televisão de cabelo rapado

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, apareceu segunda-feira com a cabeça rapada, depois de ter iniciado em Julho um tratamento com quimioterapia para combater células cancerígenas.

O 'new look' do presidente venezuelano foi visto nas televisões, num ato em que, vestido com fato preto, com gravata vermelha e com os óculos que usa nos últimos tempos, empossou o novo ministro da Cultura, Pedro Calzadilla, a nova ministra da Juventude, Maria del Pilar Hernández, e o comandante de brigada da Guarda de Honra presidencial, Wilfredo Figueroa Chacín.

No palácio presidencial de Miraflores, rodeado pelos seus ministros, Hugo Chávez mostrou às câmaras uma foto sua tirada quando tinha 18 meses de idade, em que aparecia quase sem cabelo e, rindo-se, disse: "Vejam que tenho o mesmo corte. Estou a rejuvenescer".

Explicou que "a queda de cabelo é normal" durante o tratamento para combater o cancro e que "a quimioterapia é um tratamento que ataca de maneira inclemente as célula de rápido crescimento, como as do folículo capilar".

Isto, frisou, "indica que o tratamento está a ser efectivo".

Por outro lado, acusou a opositora Mesa de Unidade Democrática, a quem se referiu como "mesa de ultra-direita" e "mesa dos United States", de fazer "um show macabro" com a sua doença e continuar a especular sem qualquer base científica.

"Pôs a circular rumores de que tenho um cancro no cólon, no recto, na bexiga. Nada disso é certo. Volto a dizer com absoluta transparência, extraíram-me um tumor e as células cancerígenas continuam a ser vigiadas. Este é 'my new look. How are you?'", disse, terminando a expressão em Inglês.

PUB

Advertiu o país que seria "um desastre" se a oposição voltasse ao poder na Venezuela, porque promete uma política de Estado coerente "com o império" e a política dos Estados Unidos.

Hugo Chávez foi operado, de urgência, em Cuba, em 10 de Junho, a um 'abcesso pélvico' e, em 01 de Julho, enviou uma mensagem ao país a revelar que também tinha sido submetido a uma segunda operação, em 20 de Junho, durante a qual lhe fora extraído um tumor com células cancerígenas.

Depois de regressado a Caracas a 4 de Julho, o Parlamento venezuelano autorizou-o, por unanimidade, em 16 de Julho a viajar para Cuba para se submeter a quimioterapia.

Em 21 de Julho anunciou que terminara com sucesso o primeiro ciclo de quimioterapia e, dois dias depois, regressou de surpresa a Caracas, revelando à chegada não ter novas "células malignas" no corpo.

"Fui submetido a intensos estudos (...) e devo dizer-lhes que não se detectou presença de células malignas em nenhuma parte do meu corpo, num exame rigoroso de quase todo um dia", disse.

Na última quarta-feira revelou que será submetido proximamente a uma nova sessão de quimioterapia e eventualmente a uma terceira fase do tratamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG