Venezuela

Chefes militares declaram "lealdade absoluta" a Nicolás Maduro

Chefes militares declaram "lealdade absoluta" a Nicolás Maduro

Os comandantes das Regiões Estratégicas de Defesa Integral (REDI) venezuelana declararam esta quinta-feira "lealdade absoluta" a Nicolás Maduro como Presidente constitucional da Venezuela.

A Venezuela tem 23 Estados e um Distrito Capital, agrupados em REDIs.

"Ratificamos o nosso irrestrito apego à Constituição e às leis da República Bolivariana da Venezuela (RBV). Condenamos categoricamente todo o tipo de ato ilegal, adverso à vontade do povo soberano e a qualquer ato que atente contra a estabilidade da nação e consequentemente da pátria, provocado pela estrema direita", disse o comandante da REDI de Los Llanos.

Através da televisão estatal o major Victor Augusto Palácio Garcia sublinhou ainda que as Forças Armadas Bolivarianas da Venezuela (FAB) estão fundamentadas em três pilares: obediência, disciplina e subordinação.

"Fazendo honra às tradições da nossa instituição, somos garantes da estabilidade, independência, soberania e paz, em tal sentido reconhecemos e ratificamos lealdade absoluta ao Presidente constitucional da República Bolivariana da Venezuela, comandante em chefe das FAB, Nicolás Maduro Moros, eleito pelo povo para o período 2019 - 2025".

Acompanhado por vários militares, Victor Augusto Palácio Garcia, terminou afirmando: "leais sempre, traidores nunca, (Hugo) Chávez vive, a pátria continua, independência e pátria socialista, viveremos e venceremos. O sol na Venezuela nasce no Esequibo".

Por outro lado, o major general Manuel Gregório Bernal Los Andes explicou que a Venezuela é um país "soberano e com autodeterminação"

Frisou ainda que as FAB, "como garantes da decisão do soberano (povo) têm o dever e a obrigação ético-moral e ineludível de defender essa vontade do soberano".

"O povo manda, a Constituição e as Leis referendam, e as FAB obedecem. Pois a FAB para garantia da República e da estabilidade internacional é uma instituição por consciência de caráter democrático e portanto obediente e leal ao seu presidente constitucional".

Ao concluir afirmou também "(Hugo) Chávez vive, a pátria continua, independência e pátria socialista, viveremos e venceremos".

A manifestação de apoio a Nicolás Maduro foi ainda proclamada pelo major general da REDI Ocidental, Fábio Zavarse, que, em nome dos militares, condenou "energicamente a ingerência nos assuntos internos da nação, por parte do governo dos EUA", que acusou de praticar, "em conivência com venezuelanos apátridas, atos de violência para aceder ao poder de maneira abrupta e ilegal".

Fábio Zavarse frisou ainda que os militares se comprometem "em cumprir e fazer cumprir a Constituição e as leis" da Venezuela, "honrar o mandato do povo da Venezuela que exercendo os seus direitos constitucionais, a 20 de maior de 2018, elegeu como presidente da RBV para o período 2019 - 2025 o cidadão Nicolás Maduro Moros".

Finalmente, o comandante do REDI Central, Domingo Hernández, vincou que as FAB estão consagradas "à defesa da pátria sem importar as vicissitudes" que venham a enfrentar.

"Proclamamos lealdade e subordinação absoluta ao cidadão Nicolás Maduro Moros, Presidente constitucional da RBV e comandante e chefe das FAB, eleito, e que como tal é o único que ostenta o mando direto e supremo das FAB".

Dirigindo-se ao Presidente, enfatizou: "Meu comandante e chefe, conte com a REDI Central".