Balanço

China anuncia mais um morto. O segundo fora do epicentro do novo vírus

China anuncia mais um morto. O segundo fora do epicentro do novo vírus

A China anunciou, esta sexta-feira, a morte de uma pessoa devido ao coronavírus, perto da fronteira com a Rússia, a segunda fora do epicentro do surto, com origem na cidade de Wuhan, aumentando para 26 o número de vítimas fatais.

A vítima em causa morreu em Heilongjiang (nordeste), uma província na fronteira com a Rússia, localizada a mais de 1800 quilómetros da cidade de Wuhan, onde o vírus foi descoberto.

Horas antes, a comissão de saúde de Hebei, uma província que faz fronteira com Pequim, disse que um homem de 80 anos morreu após regressar de uma estadia de dois meses em Wuhan.

As autoridades chinesas confirmaram, esta sexta-feira, que o número de pacientes infetados com o coronavírus aumentou para 830.

O surto surge numa altura em que milhões de chineses viajam, por ocasião do Ano Novo Lunar, a principal festa das famílias chinesas, equivalente ao natal nos países ocidentais. Segundo o Ministério dos Transportes chinês, o país deve registar um total de três mil milhões de viagens internas neste período.

As autoridades chinesas consideraram que o país está no ponto "mais crítico" no que toca à prevenção e controlo do vírus e colocaram em quarentena, impedindo entradas e saídas, três cidades, Wuhan, a as vizinhas Huanggang e Ezhou, onde vivem mais de 18 milhões de pessoas.

Os mais de 800 casos registados têm alimentado receios sobre uma potencial epidemia semelhante à da pneumonia atípica, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), que entre 2002 e 2003 matou 650 pessoas na China continental e em Hong Kong.

Além da China continental, foram já detetados casos em Macau, Tailândia, Taiwan, Hong Kong, Coreia do Sul, Japão, Vietname, Singapura e Estados Unidos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG