Tribunal

Chinês condenado a pagar 120 mil euros à ex-mulher por tarefas domésticas

Chinês condenado a pagar 120 mil euros à ex-mulher por tarefas domésticas

Um tribunal na província de Shandong, no leste da China, condenou, esta quarta-feira, um homem a pagar 930 mil yuans (quase 120 mil euros) à ex-mulher pelas tarefas domésticas executadas ao longo dos 11 anos de casamento.

A mulher, de apelido Liu, disse em tribunal que teve de deixar o emprego para cuidar dos dois filhos do casal e acusou o ex-marido, Zhu, de a maltratar. O tribunal determinou que o casal deve divorciar-se, após várias tentativas de mediação, e instou o homem a cessar qualquer tipo de violência "imediatamente".

O novo código civil da China - que entrou em vigor em janeiro deste ano - inclui uma cláusula que permite a um cônjuge solicitar uma indemnização ao parceiro, durante o divórcio, por assumir maior responsabilidade pelas tarefas domésticas, cuidados das crianças ou dos parentes idosos. O tribunal de Shandong enfatizou que as mulheres que pedem o divórcio muitas vezes estão numa posição de desvantagem e que o trabalho que fazem em casa deve ser valorizado para proteger os seus direitos.

Em fevereiro passado, um tribunal de Pequim ordenou que um homem pagasse à ex-mulher o equivalente a cerca de 6400 euros, alegando que esta teve de tratar dos filhos do casal e das tarefas domésticas sozinha, e que o marido "dificilmente se importava ou participava em qualquer tipo de trabalho doméstico".

As taxas de divórcio na China dispararam, nas últimas três décadas. Em 2020, registaram-se 3,7 milhões de separações no país, face a 4,15 milhões no ano anterior, segundo o Ministério dos Assuntos Civis da China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG