Natureza

Cidades norte-americanas invadidas por "cigarras periódicas"

Cidades norte-americanas invadidas por "cigarras periódicas"

Milhares de milhões de cigarras estão, por esta altura da primavera, a emergir do subsolo nos Estados Unidos da América, tornando-se num fenómeno muito particular, pois apenas acontece em alguns estados do país.

Washington D.C, Nova Iorque, Indiana ou Ohio são alguns dos estados que estão a ser "invadidos" por cigarras periódicas, uma espécie de cigarra conhecida por "Brood X", que apenas surge num ciclo de 13 ou 17 anos nos Estados Unidos da América.

Estes insetos deixam a terra para se reproduzirem, ficando fora dos abrigos durante seis semanas, regressando alguns anos depois para realizar novamente o acasalamento. Muitos entomologistas acreditam que o facto de estas cigarras passarem a maior parte da sua vida no subsolo funciona como um movimento de proteção contra os predadores.

No caso do ritual de acasalamento, estas cigarras desenvolvem uma espécie de "canto", que os machos utilizam para atrair as fêmeas, o que pode tornar-se ensurdecedor, pois esta prática pode atingir entre 90 a 100 decibéis.

As cigarras periódicas destacam-se por serem diferentes das outras espécies de cigarras que se encontram noutras zonas do mundo. Estas espécies ficam mais tempo no subsolo para se desenvolverem e quando atingem o limite do seu desenvolvimento todas estas cigarras emergem da terra simultaneamente.

A "invasão" destes insetos pode levar a que alguns norte-americanos arranjem mecanismos de defesa contra a presença destes animais. Segundo revela o "The Guardian" um norte-americano decidiu reservar um feriado prolongado no Idaho para escapar ao surgimento das cigarras. Também uma outra mulher, Jane Pyron, decidiu proteger-se, criando "um escudo corporal feito de cortinas de chuveiro para evitar qualquer contacto com estes insetos".

PUB

O jornal britânico acrescentou ainda que a polícia do estado da Geórgia "implorou às pessoas que parassem de ligar para o 911 [número de emergência dos EUA] para relatar o barulho imenso que as cigarras faziam".

Uma outra maneira de lidar com a presença destas cigarras está relacionada com a alimentação. Vários chefes de cozinha utilizam este inseto para ser servido como camarão, devido a ter uma semelhança com os crustáceos. Também uma empresa do estado de Maryland decidiu vender estes insetos mergulhados em chocolate, segundo aponta o jornal "The Guardian".

A presença das cigarras periódicas nas cidades norte-americanas também já provocaram acidentes. De acordo com a agência Associated Press (AP), a polícia da cidade Cincinnati no Ohio contou que um motorista foi atingido por uma cigarra enquanto ia a conduzir. "O inseto entrou pela janela aberta, atingindo o motorista no rosto, levando-o a embater num poste e danificar o veículo". Por acidentes como este, a polícia da cidade aconselhou os motoristas a circularem com as janelas fechadas.

O surgimento destes insetos, que aparecem em troncos de árvores ou paredes, marcam por ser inofensivos para os humanos ou outros animais, como cães ou gatos. Segundo Michael Raupp, especialista em entomologia na Universidade de Maryland, as cigarras periódicas "não mordem ou picam, não há nada a temer delas".

Esta espécie, que surgiu nas últimas semanas em vários estados do leste dos Estados Unidos da América, representa a maior presença das cigarras periódicas de todos os tempos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG