Mundo

Cinco barcos chegam ao Vietname para retirar quatro mil chineses

Cinco barcos chegam ao Vietname para retirar quatro mil chineses

Cinco barcos chineses chegaram à província vietnamita de Ha Tinh (no centro) para repatriar cerca de quatro mil cidadãos, na sequência de novas manifestações anti-China ocorridas nos últimos dias.

Segundo informou, esta manhã, a agência oficial Xinhua, um dos barcos, o Wuzhishan, já tinha atracado no porto de de Vung Ang, enquanto os outros quatro estavam em águas próximas, aguardando a ordem para atracar.

Os cinco barcos chineses regressam ainda hoje à China com os cerca de quatro mil cidadãos nacionais, que trabalham em empresas estatais do Vietname.

Os protestos tiveram origem na instalação de uma plataforma petrolífera chinesa nas ilhas Paracel, disputadas por ambos os países.

Até domingo, a China anunciou que mais de quatro mil dos seus cidadãos residentes no Vietname, incluindo 16 feridos "em estado crítico", tinham sido já retirados do país.

O gigante asiático também anunciou que, como represália aos violentos incidentes, iria suspender parte dos seus planos de intercâmbios bilaterais com o Vietname, embora não tenha especificado a área de cooperação afetada, nem a partir de quando seria implementada a medida.

As tensões entre a China e o Vietname - dois vizinhos comunistas, mas históricos rivais - agudizaram-se depois de Pequim ter anunciado a instalação de uma plataforma petrolífera em águas territoriais de ilhas disputadas por ambos, com milhares de vietnamitas a saírem para as ruas protagonizando protestos em massa nas principais cidades do país.

Na semana passada, Pequim moveu uma sonda de perfuração de águas profundas, pela primeira vez, perto da ilha de Paracel, num gesto contestado por Hanói e qualificado de "ilegal".

A escalada da tensão levou mesmo a ONU a pedir moderação aos dois países.

A China e o Vietname mantêm uma antiga disputa territorial no Mar do Sul da China por causa da soberania das ilhas Paracel e Spratly, alegadamente ricas em petróleo.