Mundo

Cinco mortos em confrontos durante funeral de membro do Hezbollah

Cinco mortos em confrontos durante funeral de membro do Hezbollah

Pelo menos cinco pessoas, incluindo três membros do Hezbollah, foram mortas e várias outras ficaram feridas em confrontos registados no sul de Beirute, anunciou uma fonte das forças de segurança do país.

A violência eclodiu na área de Khaldé, perto da capital do Líbano, quando uma emboscada que tinha como alvo o cortejo fúnebre de um membro do Hezbollah morto no sábado deu origem a uma troca de tiros entre apoiantes dos movimento xiita e residentes sunitas da região.

No sábado à noite, Ali Chebli, membro do movimento armado xiita Hezbollah, foi assassinado à queima-roupa durante um casamento em Khaldé, como vingança pela morte, em agosto de 2020, de duas pessoas durante uma rixa, na mesma zona.

Os acontecimentos de hoje levaram o exército a "enviar reforços" para o setor de Khaldé, disse uma fonte militar, citada pela agência francesa de notícias AFP.

Em comunicado, o exército anunciou que "irá abrir fogo contra qualquer pessoa armada [que passe] nas estradas de Khaldé e contra qualquer um que atire seja onde for".

O Hezbollah, por sua vez, pediu ao exército e às forças de segurança que detenham os autores da "emboscada" que, segundo um comunicado daquele grupo, provocou dois mortos entre as pessoas que acompanhavam o cortejo fúnebre.

O primeiro-ministro indigitado do Líbano, Najib Mikati, pediu "contenção", alertando para o conflito de "correntes confessionais", já que a tensão entre sunitas e xiitas está bastante alta no Líbano.

PUB

Estes episódios de violência acontecem num contexto já difícil no Líbano, numa altura em que o país está há quase dois anos a viver uma crise económica sem precedentes e em que a instabilidade política está a aumentar desde o outono de 2019, quando teve início uma revolta popular contra a classe dominante, acusada de corrupção.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG