Medicina

Cirurgiões italianos descobrem a válvula cardíaca mais antiga do mundo

Cirurgiões italianos descobrem a válvula cardíaca mais antiga do mundo

Médicos italianos descobriram uma das primeiras próteses de coração implantadas há quase 50 anos, pelo cirurgião Christiaan Barnard.

Christiaan Barnard foi o cirurgião e professor que liderou a equipa de médicos que realizou o primeiro transplante de coração humano, para outro humano, em 1967.

Recentemente, médicos italianos descobriram uma dessas primeiras próteses de coração, implantada por Christiaan, durante uma cirurgia numa mulher de 60 anos de idade.

A prótese, uma válvula mitral artificial, tem quase 50 anos, de acordo com os médicos do hospital San Giovanni di Dio e Ruggi d"Aragona, em Salerno, na Itália. A válvula implantada por Christiaan ​​​​​​ainda estava "perfeitamente funcional e em excelentes condições", disseram os médicos, citados pelo jornal brtiânico "The Guardian".

A operação da mulher foi um sucesso e recebeu alta do hospital alguns dias mais tarde. Os médicos disseram que não havia registos de uma válvula tão antiga ter sido encontrada, e descreveram a descoberta de importância quase "arqueológica".

Em 1964, quando a mulher tinha apenas 5 anos, os médicos diagnosticaram-lhe uma séria anomalia na válvula mitral. Cinco anos mais tarde, em 1969, viajou até à África do Sul, até ao hospital de Groote Schuur, na Cidade do Cabo, para que Christiaan Barnard, um dos cirurgiões mais qualificados e reconhecidos da época, pudesse salvar-lhe a vida.