Mundo

Coligação neutralizou capacidades aéreas da rebelião no Iémen

Coligação neutralizou capacidades aéreas da rebelião no Iémen

Após dois dias de bombardeamentos, a coligação árabe dirigida pelo Arábia Saudita anunciou esta sexta-feira ter neutralizado as capacidades aéreas da rebelião xiita dos Huthis e seus aliados.

"O espaço aéreo está totalmente sob controlo das forças da coligação", declarou o seu porta-voz, general Ahmed Assiri, durante uma conferência de imprensa em Riade.

"Hoje não foi registado qualquer movimento da aviação iemenita" após a coligação ter "destruído no solo os aviões" de combate dos rebeldes e dos seus aliados durante o primeiro dia de 'raides' [quinta-feira], acrescentou.

A coligação, que inclui nove países árabes, desencadeou na noite de quarta-feira para quinta-feira uma operação militar contra as posições dos Huthis e as instalações militares controladas pelas unidades do exército iemenita que permaneceram fiéis ao ex-presidente Ali Abdallah Saleh.

O porta-voz precisou que a base aérea de Al-Anad, a mais importante do Iémen, foi hoje de novo atacada. "A pista foi bombardeada para impedir que os Huthis utilizem a base", situada 50 quilómetros a norte de Aden, a principal cidade do sul, disse ainda o porta-voz.

Na sequência da intervenção estrangeira, o ex-presidente Saleh, que se aliou à rebelião xiita, pediu hoje um cessar-fogo nas operações militares em curso e propôs o início de um diálogo entre os protagonistas da crise iemenita nos Emirados árabes unidos, patrocinado pela ONU.

Em comunicado, Saleh apelou ao fim "simultâneo" das operações militares e surge no segundo dia das operações lideradas pelos sauditas em apoio ao presidente Abd Rabbo Mansour Hadi, reconhecido pela comunidade internacional e que hoje aterrou no Egito, proveniente da Arábia Saudita, para participar este fim-de-semana numa cimeira da Liga Árabe.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG