Canadá

Companhia aérea tirou lugar a rapaz de 10 anos

Companhia aérea tirou lugar a rapaz de 10 anos

A Air Canada pediu desculpa a uma família esta semana depois de ter cancelado a viagem de uma criança de 10 anos devido a "overbooking".

Brett Doyle comprou quatro bilhetes de avião de Charlottetown, na Ilha do Príncipe Eduardo, no Canadá, para a Costa Rica, no passado mês de agosto. Um dia antes das férias do passado mês de março, Brett fez o check-in online para a família, mas não conseguiu confirmar o lugar do filho, Cole, de 10 anos.

Após horas ao telefone com a Air Canada para tentar perceber o que se passava e conseguir resolver a situação para que a família viajasse no mesmo voo, a mulher, Shanna, dirigiu-se ao aeroporto e foi informada de que o lugar do filho tinha sido cancelado devido a "overbooking" - técnica comercial quer permite às companhias venderem mais lugares do que os existentes no aparelho.

Sem solução, a família foi obrigada a deslocar-se a outro aeroporto para apanhar um voo para Montreal a tempo de seguirem no avião que fazia a ligação à Costa Rica. Mas as complicações não terminaram aí. O voo para a Costa Rica foi cancelado e a família teve de pernoitar num hotel em Halifax.

Pelos inconvenientes causados, a Air Canada deu à família um "voucher" de 2481 dólares (2,3 mil euros), com duração de um ano, e um cheque de 992 dólares (929 euros) para as despesas que teve.

"A nossa política é muito clara e esta situação com uma família que viajava junta não devia ter acontecido. Estamos a apurar o que correu mal", referiu um porta-voz da empresa em comunicado enviado à CBS News.

"Pedimos desculpa a Mr. Doyle e à sua família pelo inconveniente", acrescentou, justificando que o "overbooking" permite "vender bilhetes a preços mais flexíveis".

PUB

Esta estratégia de venda de mais bilhetes do que os lugares exigentes nos voos está na ordem do dia depois do caso de David Dao, que foi expulso à força de um avião pela United Airlines.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG