Mundo

Condenadas 110 pessoas em mega processo da máfia calabresa

Condenadas 110 pessoas em mega processo da máfia calabresa

Foram este sábado condenadas 110 pessoas com penas até 16 anos de prisão no quadro de um mega processo em Milão em que 119 pessoas foram acusadas de pertencer à máfia calabresa, a Ndrangheta, anunciou a agência italiana Ansa.

As penas mais pesadas recaíram sobre chefes de famílias mafiosas que operavam na região. Alessandro Manno foi condenado a 16 anos de prisão, Cosimo Barranca recebeu 14 anos de prisão efetiva.

Pasquale Zappia, considerado como o chefe máximo da Ndrangheta na região de Milão, foi condenado a 12 anos de prisão. Na altura da leitura da sentença, Zappia sentiu-se mal, o que fez com que fosse evacuado de ambulância, indicou a Ansa.

O processo resultou de uma operação de grande envergadura, a mais importante nos últimos 15 anos, levada a cabo pela polícia contra a Ndrangheta em julho de 2010, mês em que foram detidas mais de 250 pessoas em toda a Itália, entre as quais Domenico Oppedisano, com 80 anos, o número um da máfia calabresa.

O inquérito demonstrou o elevado grau de infiltração da máfia proveniente de uma região pobre nas regiões mais prósperas do norte do país, que se tornou o "pulmão económico" da Ndrangheta.

Nas últimas décadas, a Ndrangheta tornou-se a mais importante e a mais temida das quatro grandes organizações criminosas em Itália, que incluem a Camorra na região de Nápoles, a Cosa Nostra, na Sicília e a mais pequena Sacra Corona Unita (SCU) na região da Apúlia, sudeste de Itália.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG