Estudo

Confinamento pode significar mais 1,4 milhões de mortes por tuberculose

Confinamento pode significar mais 1,4 milhões de mortes por tuberculose

O confinamento decretado para combater a pandemia de covid-19 pode causar mais 1,4 milhões de mortes no mundo por tuberculose. A falta de diagnóstico e tratamento vai aumentar o número de casos fatais da doença, prevê novo estudo.

As restrições decretadas para combater a covid-19 podem causar, até 2025, 1,4 milhões de mortes por tuberculose em todo o mundo. A conclusão está descrita num estudo da "Stop TB Partnership", uma parceria que reúne esforços de todo o mundo para travar a doença, criada há 20 anos e que junta entidades de vários governos e organizações não-governamentais.

Além das mortes, o estudo prevê que 6,3 milhões de pessoas contraiam a doença pulmonar nos próximos cinco anos. Por cada mês em confinamento, estima-se que mais 40 mil pessoas morram de tuberculose na Índia, 1157 no Quénia e 137 na Ucrânia, até 2025.

Os dados apontam para que, já em 2021, o número de casos fatais aumente para números como os que foram registados em 2013 ou 2016, o que denota um retrocesso de cinco a oito anos no combate a esta doença.

Com todos os esforços de saúde mundiais voltados para a covid-19, a organização pede que se tomem medidas para aumentar a deteção de casos de tuberculose, nomeadamente através de rastreios à população e campanhas massivas de prevenção, com a divulgação dos sintomas da doença.

A pesquisa contou com a colaboração do Imperial College de Londres e a Universidade Johns Hopkins.

Os números desta epidemia tinham vindo a cair nos últimos anos e os líderes mundiais tinham previsto erradicar a tuberculose até 2030, a doença infeciosa curável que mais mortes causa.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG