EUA

Congresso dividido sobre investigação à invasão do Capitólio

Congresso dividido sobre investigação à invasão do Capitólio

O Congresso dos EUA iniciou esta terça-feira o debate sobre a possibilidade de investigar o ataque ao Capitólio por apoiantes do ex-Presidente Donald Trump, em 6 de janeiro, com os democratas a favor e republicanos contra.

O primeiro passo para tornar essas investigações uma realidade começou esta terça-feira no Comité de Regras da Câmara, liderado pelo democrata Jim McGovern.

"Precisamos de descobrir o que aconteceu e garantir que não acontecerá novamente. Para isso, a comissão deve ser liderada por especialistas, não por políticos", disse McGovern no início do debate, que está a ser realizado online, por causa da pandemia de covid-19.

O líder dos republicanos neste comité, Tom Cole, manifestou-se contra a comissão especializada e pediu uma "investigação mais ampla" que incluísse as manifestações "violentas" realizadas pelo movimento Black Lives Matter.

Este foi justamente um dos argumentos do líder dos conservadores na Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, para se opor também à criação da comissão especializada, que funcionará no estilo daquela que foi criada para apurar as responsabilidades sobre os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

Numa declaração antes do início do debate, McCarthy disse que não poderia apoiar o compromisso alcançado nos últimos dias pela presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, e pelo representante republicano, John Katko.

Democratas e republicanos chegaram a um acordo provisório, na sexta-feira passada, sobre a criação desta comissão independente para investigar o ataque ao Capitólio em 6 de janeiro por uma multidão de apoiantes de Trump.

PUB

De acordo com esse pacto, os membros da comissão não podem ser funcionários do Governo e devem ter "ampla experiência em áreas como aplicação da lei, direitos civis, liberdades civis, privacidade, informações e segurança cibernética".

Da mesma forma, a comissão terá o poder de obrigar potenciais testemunhas a depor, embora para isso deva haver um acordo prévio entre o seu presidente e vice-presidente, ou pela maioria dos votos dos seus membros.

A criação desta comissão deve ser aprovada pelo Congresso, sendo mais fácil na Câmara de Representantes do que no Senado, por causa da estreita maioria que os democratas têm na câmara alta e porque o líder da minoria republicana, Mitch McConnell, também se opõe à sua criação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG