Mundo

Conselho de Segurança da ONU condena assassínio "cobarde e odioso" de James Foley

Conselho de Segurança da ONU condena assassínio "cobarde e odioso" de James Foley

O Conselho de Segurança das Nações Unidas condenou, esta sexta-feira, por unanimidade, o assassínio "cobarde e odioso" do repórter norte-americano James Foley pelo Estado Islâmico.

Na quarta-feira, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, referiu-se à decapitação do jornalista como um "crime abominável".

Os 15 membros do Conselho apelaram, igualmente, à libertação "imediata e sem condições" de "todos os reféns nas mãos do EI, da al-Nosra e de outros indivíduos, grupos ou entidades associadas à al-Qaida".

"Os membros do Conselho sublinham a necessidade de levar à justiça os responsáveis por estes atos repreensíveis de terrorismo", precisa a declaração, que apela a todos os países para que cooperem com os Estados Unidos nesse sentido.

O assassínio de James Foley "demonstra, mais uma vez, a brutalidade do Estado Islâmico do Iraque e do Levante", acrescenta o Conselho, denunciando "a intolerância, a violência e o ódio" do grupo que declarou um califado na Síria e no Iraque.

James Foley, 40 anos, que desapareceu na Síria em novembro de 2012, foi decapitado por "jihadistas` do EI e a sua execução foi filmada e divulgada num vídeo difundido pela internet.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG