Covid-19

Contaminação de Trump suscita reações em todo o Mundo

Contaminação de Trump suscita reações em todo o Mundo

A notícia da infeção com covid-19 do presidente dos EUA gerou reações instantâneas de choque, simpatia, alegria, indignação e curiosidade sobre o estado de saúde de Donald Trump, em todo o Mundo.

Donald Trump escreveu na sua página pessoal da rede social Twitter, esta madrugada, que, tal como a primeira-dama, Melania, tinha testado positivo com a covid-19 e que iria ficar em quarentena, num anúncio que deixou o país em alerta e está a multiplicar reações em todo o Mundo.

Os líderes mundiais foram rápidos a manifestar-se, com mensagens de simpatia e de encorajamento, quando souberam que Trump se tinha juntado a uma lista de chefes de Governo e de Estado infetados com covid-19, onde já se encontram figuras como o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, ou o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

O líder da oposição de direita italiana, Matteo Salvini, também usou o Twitter para dizer que "na Itália e no mundo, quem celebra a doença de um homem ou de uma mulher, e quem deseja a morte de um vizinho, confirma o que é: um idiota sem alma", complementando a mensagem com votos de melhoras para Donald e Melânia Trump.

A referência de Salvini dirigia-se a numerosas mensagens que pululam nas redes sociais, revelando satisfação com a contaminação de Trump ou indignação pelo facto de o Presidente ter sempre desvalorizado uma pandemia que agora o afetou diretamente.

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, durante uma conferência de imprensa, não mencionou a relutância de Trump em usar máscaras, quando questionada sobre a infeção do Presidente norte-americano, mas lembrou "que as máscaras são muito usadas no Japão".

A agência de notícias oficial da China, Xinhua, deu a notícia da contaminação de Trump, mas sem divulgar quaisquer comentários do Governo de Pequim, que ainda não se pronunciou sobre o assunto.

PUB

Nos últimos meses, Trump tem acusado o Governo do Partido Comunista Chinês como sendo responsável pela rápida expansão da pandemia, na sua fase inicial, lançando uma nova escalada de tensão entre os dois países.

No Médio Oriente, o tema também domina o panorama mediático e o Al-Arabiya, um canal de satélite saudita, com sede em Dubai, interrompeu a emissão para dar a notícia da contaminação de Trump, colocando vários comentadores a analisar a repercussão na região do estado de saúde do Presidente dos EUA.

A televisão estatal iraniana deu a notícia de forma seca, enquanto mostrava nos ecrãs imagens nada lisonjeiras de Donald Trump.

Em tom bem diferente e positivo, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, desejou ao seu "amigo" e mulher "uma rápida recuperação e boa saúde", prolongando as mensagens calorosas que têm trocado nos últimos meses, apesar das tensões comerciais entre os dois países.

O secretário-geral da ONU, António Guterres e o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, também enviaram votos de recuperação e o Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, desejou uma "rápida recuperação" ao Presidente Trump.

"Também gostaríamos de enviar palavras de sincero apoio à sua família e ao povo americano", disse o líder sul-coreano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG