Mundo

Coreia do Sul e EUA realizam manobras com fogo real próximo da fronteira da Coreia do Norte

Coreia do Sul e EUA realizam manobras com fogo real próximo da fronteira da Coreia do Norte

A Coreia do Sul e os Estados Unidos vão realizar, na sexta-feira, perto da fronteira com a Coreia do Norte, o maior exercício militar de sempre com fogo real, anunciaram, esta segunda-feira, fontes militares em Seul.

As manobras, de um dia, vão realizar-se para comemorar o 62.º aniversário do início da Guerra da Coreia (1950-53) em Pocheon, a 35 quilómetros da fronteira coreana, explicaram porta-vozes do Ministério da Defesa sul-coreano à agência noticiosa Yonhap.

O exercício vai implicar a mobilização de mais de dois mil soldados, aviões de combate "F-15K", helicópteros de ataque "Apache" e tanques, e contará pela primeira vez com a participação do aparelho de controlo aerotransportado "Boeing E-737" e do avião de combate ligeiro sul-coreano "TA-50", acrescentaram.

O primeiro-ministro sul-coreano, Kim Hwang-sik, tem previsto assistir a estas manobras, que pretendem recriar a invasão norte-coreana, que deu início à guerra há 62 anos. O objetivo é desenvolver as capacidades defensivas e de contra-ataque das forças aliadas.

O exercício realiza-se numa altura em que a comunidade internacional observa de perto Pyongyang, depois de um satélite sul-coreano ter detetado em abril atividade numa base do Norte, que deixa antever a possibilidade de estar em preparação um novo teste nuclear por parte do regime comunista.

O satélite registou estes movimentos pouco depois de a Coreia do Norte ter lançado sem êxito um foguetão de longo alcance a 13 de abril.

O jornal sul-coreano Chosun Ilbo noticiou, esta segunda-feira, que Seul e Washington estão a estudar a ligação da célula de mísseis defensivos que a Coreia do Sul vai construir na província de Gyeonggi (noroeste) ao sistema de mísseis defensivos "Patriot" norte-americano.

PUB

A Guerra da Coreia começou a 25 de junho de 1950, quando tropas e tanques norte-coreanos invadiram território do Sul.

Os Estados Unidos e outras 20 nações lutaram ao lado de Seul, sob a bandeira das Nações Unidas até que um armistício interrompeu o conflito em 1953.

A Coreia do Sul, onde os Estados Unidos mantêm cerca de 28.500 militares, e a Coreia do Norte continuam tecnicamente em guerra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG