Exclusivo

Corrupção e espionagem: PP espanhol em guerra fratricida

Corrupção e espionagem: PP espanhol em guerra fratricida

O Partido Popular espanhol está envolvido numa guerra interna com dois grupos opostos, onde a corrupção, a traição e a família estão na ordem do dia. O hegemónico partido da direita espanhola durante a democracia vive uma crise inédita desde a sua fundação, que pode mudar por completo a cúpula do partido. O líder popular, Pablo Casado, acusa a presidente da Comunidade de Madrid, Isabel Diaz Ayuso, de corrupção enquanto a destacada líder da comunidade madrilenha se defende por ter sido vítima de espionagem ilegal.

As informações publicadas na quinta-feira por vários meios de comunicação espanhóis foram o espoletar de um confronto sem precedentes. O Partido Popular foi acusado de ter tentado contratar uma agência de detetives, através da Câmara Municipal de Madrid, para investigar de forma ilegal se a presidente da região, Isabel Díaz Ayuso, favoreceu o seu irmão com contratos públicos. Em causa, a compra de 250 mil máscaras FFP2 por 1,5 milhões de euros no início da pandemia, quando conseguir comprar material sanitário para os hospitais de campanha improvisados parecia uma utopia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG