O Jogo ao Vivo

Ciência

Covid-19: Não há provas de que animais sejam um risco para os humanos

Covid-19: Não há provas de que animais sejam um risco para os humanos

Os veterinários têm um recado para os donos de gatos: mantenham os animais de estimação em ambientes fechados a fim de impedir a propagação do coronavírus entre os animais. No entanto, não há provas de risco para humanos.

A mensagem chega de Inglaterra através da Associação Britânica dos Veterinários. A associação enfatiza que "os proprietários não devem preocupar-se com o risco de infeção por animais de estimação".

"Não há um único caso de um cão de estimação ou gato infetado por um ser humano com a doença Covid-19", defende a associação citada pela BBC. A investigação mostra que os gatos são potenciadores de contágio a outros animais. Por isso, recomenda a associação, o sensato é manter os animais seguros dentro de casa.

"Lave bem as mãos, mantenha uma boa higiene e mantenha os animais dentro de casa", recomendam os especialistas ouvidos pela BBC.

Vírus transmitido através do pelo

A associação esclarece que é através do pelo que um animal pode transmitir o vírus. Esta informação surge depois de veterinários terem analisado um caso em Hong Kong, em que um cão de 17 anos deu positivo para a Covid-19, possivelmente infetado pelo dono.

A Associação Britânica dos Veterinários explica que "como no surto do SARS-COV de 2003, em Hong Kong, vários animais de estimação foram infetados, mas nunca ficaram doentes. Não há evidências de que cães ou gatos possam ficar doentes ou infetar pessoas".

Doença passa de humanos para animais

À cadeia de televisão BBC, os especialistas avançam que os gatos podem ser portadores da doença através de gotículas respiratórias, ou seja, pelas partículas de vírus suspensas no ar.

Na Bélgica, um gato teve um resultado positivo cerca de uma semana após o dono mostrar sintomas. Cientistas chineses realizaram testes em laboratório que confirmam que gatos infetados transmitem o vírus aos seus semelhantes.

"É interessante notar as evidências experimentais que os gatos podem ser infetados, juntamente com a transmissibilidade que se verificou com um tigre no zoológico do Bronx, em Nova Iorque", partilhou o diretor do Instituto Pirbright do Reino Unido, Bryan Charleston.

A Associação Britânica de Veterinários aponta que há evidências de que os seres humanos podem transmitir infeções respiratórias a grandes macacos selvagens, o que torna a disseminação global da Covid-19 uma preocupação. Em todos os casos, de acordo com especialistas, são as pessoas as suscetíveis de contagiar os animais.

"O vírus saltou de um animal para um humano, e isso parece ser porque as pessoas comiam os animais infetados", concluem os peritos da associação.

Outras Notícias